Força-tarefa fecha locais suspeitos de prostituição no Centro de Santos

Cinco hotéis de alta rotatividade foram alvo de fiscalização na tarde desta sexta-feira (20). Uma pessoa foi detida por porte de entorpecentes

Comentar
Compartilhar
20 MAR 201518h47

Uma força-tarefa fechou cinco locais suspeitos de prostituição ontem (20), no Centro de Santos. O trabalho foi realizado pela Prefeitura por meio da Vigilância Sanitária, Guarda Municipal, Secretarias de Saúde e Finanças do município e CET, com apoio das polícias Militar e Civil.

O delegado assistente do Deinter-6, Paulo Eduardo Barbosa, que comandou os trabalhos, falou sobre a fiscalização. “A força-tarefa executa uma atividade permanente de fiscalização. Começamos com as universidades e os bares no entorno das mesmas. Agora, estamos fiscalizando casas de prostituição e hotéis de alta rotatividade. A medida visa inibir as pessoas que buscam se favorecer da prostituição. A prostituição em si não é crime, mas o favorecimento à prostituição é. As pessoas que recebem os lucros da prostituição”.

Foram alvo da força-tarefa, dois estabelecimentos na Rua João Pessoa, um na Rua Brás Cubas, um na Rua Amador Bueno e outro na Rua Bittencourt. Nos locais foram constatados condições inadequadas de higiene, incentivo à prostituição e presença de entorpecentes, além de não possuírem alvará de funcionamento. Barbosa falou sobre as irregularidades encontradas. “As mais diversas. As condições sanitárias são muito ruins. Ambientes insalubres. Os locais favorecem o encontro de prostituição. Encontramos muitos preservativos, cartões de visita de prostitutas e os donos dos estabelecimentos, infelizmente, são coniventes com isso”.

Uma pessoa foi detida por porte de entorpecentes e outras três conduzidas para o 1º DP para averiguação. O delegado explicou os próximos passos da fiscalização. “No âmbito criminal, a polícia vai investigar se o dono do estabelecimento é favorecido pela prostituição. Além disso, a Prefeitura vai lacrar o estabelecimento, emparedar as entradas. A Vigilância Sanitária constatou que não tem condição alguma de um ser humano habitar o local. É uma condição muito ruim, muito triste”.

Local na Rua Brás Cubas foi lacrado após fiscalização (Foto: Luiz Torres/DL)

Situação precária

Funcionários da Vigilância Sanitária relataram as situações encontradas dentro dos estabelecimentos. Além de muita bagunça, más condições e preservativos encontrados pelo chão, foram encontrados restos de fezes de animais. O mau cheiro era forte. Algumas pessoas ligaram o odor à urina.