Copiloto da Germanwings teve depressão há seis anos

De acordo com um jornal, Andreas Lubitz procurou ajuda psiquiátrica para um “surto agudo de depressão” em 2009 e continuava a ser assistido pelos médicos

Comentar
Compartilhar
27 MAR 201511h15

O copiloto da empresa Germanwings, que terça-feira (24) , segundo as investigações, fez o Airbus A-320 bater nas montanhas dos Alpes franceses, teve há seis anos forte depressão, revela hoje o diário alemão Bild.

De acordo com o jornal, que cita documentos do regulador alemão do setor, o Luftfahrtbundesamt (LBA), o copiloto procurou ajuda psiquiátrica para um “surto agudo de depressão” em 2009 e continuava a ser assistido pelos médicos.

Andreas Lubitz, 28 anos, recebia assistência médica regular, acrescenta o Bild, lembrando que a Lufthansa, proprietária da Germanwings, prestou essa informação ao regulador.

Andreas Lubitz teve há seis anos forte depressão, revela hoje o diário alemão Bild (Foto: Reprodução/Facebook)

Carsten Spohr, administrador da Lufthansa, tinha dito que Andreas Lubitz havia suspendido a formação de piloto, que começou em 2008, “durante determinado período”, mas não deu mais detalhes. Depois, o copiloto continuou a formação e ficou habilitado para pilotar o Airbus A-320 em 2013.

Durante a formação, contudo, o jovem piloto sofreu “depressões e ataques de ansiedade”.

Os registros do piloto serão analisados hoje por especialistas alemães antes de serem entregues aos investigadores franceses.