Com irregularidades, Itaquerão pode ser interditado até durante a Copa

De acordo com a notificação do MP, após averiguação realizada pelo Corpo de Bombeiros, foram identificadas algumas pendências no único estádio paulista a receber jogos do Mundial

Comentar
Compartilhar
03 ABR 201413h28

Próxima de ser oficialmente inaugurada, a Arena Corinthians pode não ter condições de receber sua capacidade máxima durante a Copa do Mundo de 2014. Isto porque, nesta quinta-feira, o Ministério Público do Estado de São Paulo divulgou uma nota em seu site oficial na qual aponta a existência de irregularidades no local, e ameaça pedir a interdição do Itaquerão até durante a Copa do Mundo.

De acordo com a notificação, após averiguação realizada pelo Corpo de Bombeiros, foram identificadas algumas pendências no único estádio paulista a receber jogos do Mundial. Assim, segundo o comunicado, “a Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo de São Paulo se reunirá na próxima semana com os dirigentes do Corinthians e da construtora responsável pela obra, juntamente com representantes da corporação, para tornar efetivas as medidas exigidas pelo Corpo de Bombeiros”.

A nota ainda informa que “a Promotoria, em caso de descumprimento ou cumprimento parcial dessas exigências, não descarta a adoção de medidas visando à interdição parcial da arena, mesmo durante a realização da Copa do Mundo. Nessa hipótese, eventuais prejuízos causados aos adquirentes de ingressos, que poderão ser privados do direito de assistir aos respectivos jogos, deverão ser objeto de ações judiciais em face dos organizadores do evento e dos responsáveis pela construção da arena”.

Esta notificação é feita um dia depois de o Corpo de Bombeiros informar que os responsáveis pelas obras da Arena Corinthians ainda não entregaram laudos de segurança do estádio. As principais irregularidades estão no funcionamento das saídas de emergência. Se, de fato, o estádio for parcialmente interditado, não estará apto a abrigar as 68 mil pessoas previstas para jogos da Copa do Mundo, além de não obedecer à capacidade mínima de 65 mil espectadores que a Fifa exige para o jogo de abertura.

Arena Corinthians pode não ter condições de receber sua capacidade máxima durante a Copa do Mundo de 2014 (Foto: Odebrecht/Divulgação)

Se a finalização do palco paulista do Mundial já está quatro meses atrasada, o cenário poderia ser ainda pior. Segundo o chefe dos auditores e autoridade maior do Ministério do Trabalho, Luís Antonio Medeiro, o estádio localizado em Itaquera só não está interditado porque precisa estar pronto em junho. “Se esse estádio não fosse da Copa os auditores teriam feito um auto de infração por trabalho precário e paralisado a obra. Estamos fazendo de conta que não vemos algumas coisas irregulares”, revela em entrevista à Folha de S. Paulo.

Confira a lista de irregularidades da Arena Corinthians:

1. PROCEDIMENTOS

1.1. Legado (Estádio Itaquera)
1.1.1. Apresentar o Projeto de Proteção contra Incêndio para reanálise;
1.1.2. Após a aprovação do Projeto, deve-se apresentar requerimento para análise em CTAA (Comissão Técnica de Autorização para Adequação), devendo propor medidas de proteção compensatórias para atender a outras medidas não executadas;
1.2. Evento temporário Copa do Mundo
1.2.1. Após a aprovação da CTAA, deve-se apresentar o Projeto Temporário do Evento Copa do Mundo.
SUGESTÃO: elaborar todos os procedimentos (Projeto Técnico, CTAA e Projeto Temporário) simultaneamente, para protocolar assim que o procedimento anterior for aprovado.

2. PROJETO TÉCNICO LEGADO (MEDIDAS DE PROTEÇÃO)

2.1. Apresentar Estudo de Fluxo de Pessoas (memorial de cálculo de lotação, saídas de emergência e tempo de percurso);

3. ALA LESTE

3.1. Comprovação de que o local possui área de ventilação efetiva mínima de 1/3;
3.2. Os materiais de acabamento e revestimento dos pisos, paredes e tetos deverão ser de, no máximo, classe II-A, conforme Instrução Técnica 10/2011;
3.3. Deverão ser instalados sistema de detecção de incêndio e sistema de chuveiros automáticos em toda a área e compartimentação nas áreas de lojas, lanchonetes e similares, em relação ao corredor de circulação, bem como exaustão destes ambientes, conforme Instrução Técnica 15/2011;

4. ALA OESTE

4.1. O pavimento térreo da saída da arquibancada deverá possuir as mesmas exigências requeridas na ala Leste;
4.2. O piso de descarga da área de camarotes deverá ser compartimentado em relação aos demais pisos inferiores;
4.3. Deverá ser previsto sistema de controle de fumaça em todos os átrios, corredores de circulação e em todas as áreas ocupadas, inclusive as que possuam área inferior a 300 m²;
4.4. Os materiais de acabamento e revestimento dos pisos, paredes e tetos deverão ser de, no máximo, classe II-A, conforme Instrução Técnica 10/2011;
4.5. Deverão ser previstos sistemas de detecção de incêndio, chuveiros automáticos e compartimentação das áreas de lojas, lanchonetes, restaurantes, salões de conferência e similares, em relação aos corredores de circulação.