Com atividades suspensas, Ultrapar reitera que terminal tinha licenças

A Ultracargo possui um total de 175 tanques no terminal portuário em Santos. Em 2014, suas atividades em Santos geraram receita líquida de R$ 114 milhões e contribuição ao Ebitda de R$ 69 milhões

Comentar
Compartilhar
10 ABR 201511h08

Com as atividades suspensas do Terminal da Ultracargo pela prefeitura de Santos, após um incêndio de 192 horas, a Ultrapar Participações informa que seu terminal em Santos "sempre funcionou com todas as licenças e autorizações necessárias e que suas operações obedecem todas as legislações, regulações e normas técnicas aplicáveis".

Em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Ultrapar informa que as operações estão suspensas por determinação da prefeitura e reitera que vai prestar todos os esclarecimentos e que continuará a cooperar com as autoridades. "A Ultracargo segue empreendendo todos os esforços necessários para minimizar os impactos desse evento, e reitera o agradecimento pelo árduo trabalho de todos os envolvidos".

Incêndio nos terminais da Ultracargo dura 192 (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

A Ultracargo possui um total de 175 tanques no terminal portuário em Santos. Em 2014, suas atividades em Santos geraram receita líquida de R$ 114 milhões e contribuição ao Ebitda de R$ 69 milhões, o que representa 2% do Ebitda da Ultrapar.