Chegada do outono aumenta frequência em prontos-socorros, em Santos

O número de atendimentos na Unidade de Pronto Atendimento Central e prontos-socorros aumentou cerca de 19% entre fevereiro e março

Comentar
Compartilhar
09 ABR 2018Por Da Reportagem18h20

A chegada do outono já é conhecida pela maior frequência de pessoas nos prontos-socorros. Mudanças de temperatura, queda da umidade, permanência em locais pouco arejados e outros fatores contribuem para o aparecimento de doenças virais que causam infecções nos olhos e vias respiratórias.

Segundo a Secretaria de Saúde, entre fevereiro e março, o número de atendimentos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Central e prontos-socorros da rede municipal, aumentou cerca de 19%, passando de 34.560 registros para 41.159.

Desses atendimentos, destaque para os casos de conjuntivite que, no período, cresceram 117% (de 168 em fevereiro, para 366 em março) e para problemas das vias aéreas como rinite, dor de garganta e resfriados, que tiveram aumento de 90% (344 em fevereiro e 726 em março).

O oftalmologista Bruno De Luca Oliveira, que atua no Ambulatório de Especialidades (Ambesp) da Zona Noroeste, explica que "aglomerações relacionadas a feriados e festas favorecem o aumento de casos de doenças causadas principalmente por vírus, como as infecções de vias aéreas superiores, além das diarreias e as conjuntivites virais".

Prevenção

Algumas medidas podem ser adotadas para manter a saúde em dia, como preferir ambientes arejados, lavar sempre as mãos, não levar as mãos aos olhos, usar somente lenços descartáveis, manter os ambientes limpos e livres de poeira, beber bastante líquido e evitar fumaça como o cigarro, por exemplo.

No caso da conjuntivite, o oftalmologista Bruno recomenda não fazer uso de água boricada e soro fisiológico. "O primeiro é frequentemente associado a alergias que podem piorar o quadro e o segundo pode ser fonte de contaminação ao ficar armazenado, mesmo em geladeira, por mais de 24h. "O melhor é usar água filtrada fria, colírios lubrificantes ou anti-inflamatórios para aliviar os sintomas".

Cuidados com a procedência, conservação, preparo e armazenamento de alimentos e higiene são os meios mais eficazes para ficar longe das infecções intestinais.