Banner gripe

Baixada Santista não corre risco de sofrer com tempestade como a que devastou a Grande SP

Porém, segundo o site Clima Tempo, é esperada a chegada de outra frente fria entre quinta (14) e sexta-feira (15), que trará à região 'chuvas fortes e volumosas, e com raios'

Comentar
Compartilhar
11 MAR 2019Por Pedro Henrique Fonseca18h00
Pancadas de chuva devem ocorrer entre a tarde e a noite durante a semanaFoto: Nair Bueno/DL

A Baixada Santista não corre risco de sofrer com uma tempestade como a que causou estragos na Grande São Paulo nesta segunda-feira (11). Porém, segundo o meteorologista do site Clima Tempo, Marcelo Pinheiro, é esperada a chegada de outra frente fria entre quinta (14) e sexta-feira (15), que trará à região "chuvas fortes e volumosas, e com raios".

Para esta semana, a previsão é de sol pela manhã e pancadas de chuvas fortes entre a tarte e a noite. O profissional também alerta para possíveis casos de deslizamentos de terra, em razão do solo encharcado.

No mês de fevereiro, choveu quatro vezes mais do que o habitual. Na Área Continental de Santos, na região do Sítio das Neves, e em cidades como São Vicente e Peruíbe, por exemplo, choveu 800 milímetros ou mais, enquanto a média para o mês fica entre 200 e 250.

A tempestade que atingiu a Grande São Paulo entre a noite deste domingo (10) e a madrugada desta segunda-feira (11) alagou várias cidades da região metropolitana. Ao menos 12 pessoas, entre elas, um bebê, morreram por deslizamentos de terra e afogamentos, até a publicação desta reportagem.

Os casos concentram-se em Ribeirão Pires (4), em São Bernardo do Campo (1) e na capital paulista (2), segundo balanço atualizado do Corpo de Bombeiros.

Estradas

A Via Anchieta, nesta segunda-feira (11), ficou com a pista central, sul/central norte, sentido São Paulo e litoral, bloqueada nos Kms 10 e 13, devido ao reflexo dos alagamentos.

Na Rodovia Mogi-Bertioga, o trânsito flui parcialmente, no esquema "siga e pare". Quatro pontos de deslizamento foram registrados nos Kms 67, 68, 66 e 75.

Com informações da Folhapress e Agência Brasil.

 

Colunas

Contraponto