Policial que agrediu jovem negro que ia trocar relógio atua no Batalhão de Choque da PM

Eles se apresentaram e prestaram depoimento para esclarecer ocorrido em shopping no Rio de Janeiro

Comentar
Compartilhar
10 AGO 2020Por Da Reportagem18h20
Em vídeo, é possível ouvir Matheus gritando e questionando o que ele havia feitoFoto: Reprodução / Redes Sociais

Os homens que agrediram um jovem negro após ele ter ido a um shopping center no Rio de Janeiro efetuar a troca de um relógio comprado como presente de Dia dos Pais se apresentaram às autoridades no começo da tarde desta segunda-feira (10) para prestar depoimento e tentar esclarecer o ocorrido.  Diego Alves da Silva é soldado do Batalhão de Choque e Gabriel Guimarães Sá Izaú é sargento no programa Segurança Presente.

Matheus Fernandes foi seguido e atacado pela dupla em uma loja Renner do Plaza Shopping, no Rio de Janeiro. Segundo informações das autoridades, os dois PMs trabalham numa empresa que presta consultoria de segurança para o shopping em questão.

Em um vídeo registrado por uma testemunha e que circulou pelas redes sociais durante o fim de semana, é possível ver que os dois PMs cercam Matheus e o obrigam a permanecer deitado no chão enquanto a vítima grita e tenta entender o motivo de estar sendo abordado de forma truculenta pelos homens.

"O que que eu fiz?".

As testemunhas tentam sair em defesa do jovem e afirmam que os dois suspeitos o estão agredindo sem motivos, mas eles não conseguem impedir a ação dos policiais militares. A administração do Plaza Shopping emitiu uma nota durante o fim de semana onde afirma que os agressores não se tratavam nem de funcionários do shopping e nem da empresa de vigilância. O delegado responsável pelo caso afirma que ambos serão investigados pelo crime de racismo.