Entrada da Cidade

Centro de Reciclagem realiza bazar de eletroeletrônicos

Geladeiras, rádios, TVs, batedeiras, vitrolas e computadores, entre outros eletrodomésticos e eletrônicos, podem ser encontrados no galpão de 800m2, no Paquetá

Comentar
Compartilhar
13 ABR 2018Por Da Reportagem15h16
Geladeiras, rádios, TVs, batedeiras, vitrolas e computadores, entre outros eletrodomésticos e eletrônicos, podem ser encontrados no galpão de 800m2, no Paquetá, prontos para usoFoto: Isabela Carrari/PMS

Nesta sexta-feira (13), das 8h às 17h, está sendo realizado mais um bazar de eletroeletrônicos a preços populares, mantido pelo Sindicato dos Empregados Terrestres em Transporte Aquaviários e Operadores Portuários (Settaport), com apoio da Secretaria de Meio Ambiente (Semam).

Geladeiras, rádios, TVs, batedeiras, vitrolas e computadores, entre outros eletrodomésticos e eletrônicos, podem ser encontrados no galpão de 800m2, no Paquetá, prontos para uso. "Tudo o que chega para nós passa nas mãos dos técnicos para avaliação e alguns consertos", explica o ajudante geral João Felipe Santana, 22, que trabalha no local. O que não tem conserto, mas cujo componentes podem ser reaproveitados, também é encontrado no bazar, como é o caso de muitos consoles de vídeo games.

Segundo Francisco Antônio Nogueira da Silva, supervisor do Centro, a partir da próxima semana vai começar a Venda Agendada, que funcionará todas as quartas-feiras, a partir das 14h, mediante agendamento por telefone. "A pessoa liga no 3221-2546 e pergunta se nós temos determinado produto. Na quarta-feira, na hora marcada, a pessoa vem aqui e nós mostramos o que ela pediu".

"Vim comprar um computador, mas estou saindo com a sacola cheia", diz a aposentada Sônia Lima, 72 anos, que veio com a filha e saiu com um grill, uma panela de arroz e um GPS.

Evolução

Inaugurado em 2011, o Centro de Reciclagem já recolheu mais de 900 toneladas de lixo eletrônico. Só de janeiro a abril deste ano, foram aproximadamente 70 toneladas, mais do que 1/3 do arrecadado no ano passado, que foi de 201 toneladas.

Tanto pessoas físicas quanto empresas podem doar. Basta ligar e agendar a retirada ou deixar a mercadoria direto no depósito, que fica na Avenida Conselheiro Nébias, 85, Paquetá, das 8h30 às 17h, de segunda a sexta-feira. Para as empresas, a Settaport emite um certificado referente ao peso do material doado.

Ação Social

Além da preservação do meio ambiente através da reciclagem eletrônica, a fundação mantém nove salas em diversos bairros com cursos de inclusão digital voltados, principalmente, para as pessoas de baixa renda. Os cursos são de curta duração, geralmente três meses, e gratuitos.

Paralelamente aos projetos, há o Museu de Eletrônicos, que funciona nos fundos do galpão no Paquetá. Ali é possível encontrar aparelhos de telefone antigos, como os de disco, máquinas de escrever, ventiladores de ferro, jogos eletrônicos e máquinas fotográficas de filme, entre outros.

Colunas

Contraponto