07h : 33min

Assine o Diário e o Santista por R$8 por mês no plano atual

Poliana Okimoto é a primeira brasileira eleita para o Hall da Fama das Maratonas

Nadadora brasileira é a primeira a ser incluída no grupo seleto de notáveis atletas de várias partes do mundo

Comentar
Compartilhar
13 OUT 2017Por Da Reportagem15h30
Poliana Okimoto passa a integrar o Hall da Fama das Maratonas AquáticasFoto: Divulgação

Poliana Okimoto, maratonista aquática da Universidade Santa Cecília (Unisanta), em Santos, já havia entrado para a história em 2016, por ser a primeira brasileira a conseguir uma medalha olímpica em esportes aquáticos (bronze nos Jogos Olímpicos do Rio) e também por ser a primeira nadadora brasileira a ganhar uma medalha em Campeonatos Mundiais (Nápoles 2006).

Desde terça-feira (11), o nome de Poliana Okimoto, com 34 anos, passa a integrar o Hall da Fama das Maratonas Aquáticas, um reconhecimento mundial da International Marathon Swimming Hall of Fame (IMSHOF).

Trata-se de uma organização afiliada ao Salão Internacional da Fama da Natação, estabelecido em 1971, para reconhecer os nadadores e colaboradores da maratona em todo o mundo, sendo regido por um comitê de seleção internacional de especialistas em natação de maratona.

Poliana é a primeira nadadora brasileira a ser incluída no grupo seleto de notáveis atletas de várias partes do mundo. A cerimônia de introdução dos novos membros será no dia 31 de março do próximo ano, na Capela Beaumont Estate, Old Windsor, em Londres.

"Poliana e os outros novos membros eleitos imitam aqueles excepcionalmente 269 precursores já consagrados no Hall of Fame. Eles serão imortalizados com seus nomes inscritos na deusa do mar IMSHOF, nosso "símbolo do mar", explicou o presidente Christopher Guesdon.

Em sua página na rede social, a IMSHOF destaca as importantes conquistas de Poliana Okimoto no esporte, entre 2006 e 2016. A organização americana menciona os títulos de campeã mundial, de medalhista olímpica, em casa, e como “a maior nadadora de águas abertas condecorada na história do Brasil”.

O texto ressalta sua participação em oito Campeonatos Mundiais FINA, com medalhas em várias edições nos 5 ou 10km.  Cita as provas da Copa do Mundo, em que Poliana competiu em 40 etapas e subiu ao pódio 28 vezes; 16 ouros, 9 pratas e 3 bronzes.

A IMSHOF reconhece a contribuição da atleta ao dizer que “Poliana elevou as águas abertas do Brasil a outro nível” e continua a descrever sua vitoriosa trajetória esportiva.

Em 2006, ganhou as primeiras medalhas da história do Brasil nos 10km do Campeonato Mundial de Nápoles. Nos Jogos Pan-Americanos de 2007, ganhou a primeira medalha do Brasil na competição. Em 2009, Poliana ganhou nove das 11 provas disputadas nas etapas da Copa do Mundo da FINA.  Sendo recorde em número de vitórias no mesmo ano e a primeira brasileira a vencer a competição. E finalmente, em 2009 e 2013, Poliana foi eleita pela FINA como a Melhor Nadadora de Águas Abertas do Mundo.

Colunas

Contraponto