Banner gripe

Komboio Cultural leva arte em comum para as ruas em Santos

A estreia do projeto aconteceu no último sábado, no entorno do Mercado Municipal de Santos, área onde o grupo desenvolve seu trabalho artístico há mais de quatro anos

Comentar
Compartilhar
16 ABR 2018Por Rafaella Martinez10h05
Ugo Castro e Alan Plocki percorrem as nove cidades da Baixada Santista levando arte e música dentro de duas kombis modelo 1993Foto: Divulgação

No dicionário, a palavra ‘comboio’ significa “reunião de carros que, com o mesmo destino, caminham juntos”. A palavra foi adaptada por Ugo Castro Alves e Alan Plocki e ganhou uma letra k, já que são duas kombis que levam a dupla de artistas pelas muitas ruas da Baixada Santista, espalhando música, arte circense, cultura do brincar, teatro popular e cinema.

O encontro da dupla - que circulará com o projeto Arte em Comum neste ano por mais três espaços diferentes de Santos graças ao apoio do Fundo de Assistência à Cultura (Facult) – aconteceu em 2013, quando a ausência de espaços para apresentações foi o estopim para a criação de uma estrutura móvel, capaz de abrigar múltiplas definições artísticas.

“Queremos dialogar com o território, ajudando também para que a comunidade tome conta das suas praças e retome ao convívio. Dá para voltar a ocupar a rua, mesmo com tantas notícias absurdas de repressão”, conta Ugo.

A estrutura é simples: duas kombis com sistema de som integrado, que além de transportar os artistas serve também como equipamento técnico para as apresentações. Alan destaca que, apesar do grupo ser encabeçado por dois artistas, um verdadeiro time trabalha em parceria, usando a estrutura.

“Nossas apresentações têm uma roupagem artística, mas não passa de uma grande brincadeira. Temos liberdade de criação e queremos descentralizar a cultura nas áreas mais vulneráveis da cidade”, conta.

A estreia do projeto aconteceu no último sábado, no entorno do Mercado Municipal de Santos, área onde o grupo desenvolve seu trabalho artístico há mais de quatro anos. A apresentação contou com a ocupação da Rua República Portuguesa, apresentação dos alunos da Escola de Choro e Cidadania Luizinho 7 Cordas  do Choro de Santos, oficina de circo com os parceiros da Porto Circense, apresentação do músico percussionista Jonatas Silva e do grupo Quizumba Latina, além da exibição do documentário sobre a Vila dos Pescadores: ‘Lama de Que’, de Danilo Tavares. 

Apesar da circulação via um programa de incentivo, Alan Plocki destaca que a verba – R$12 mil – ainda é irrisória para o desenvolvimento de ações culturais. “Ela é capaz de realizar o projeto, mas não de garantir o sustento do artista. Esperamos que os governos de todas as esferas entendam que para realizar com melhor qualidade um projeto é preciso prezar a dignidade do artista”, conta.

Projeto

O Komboio Cultural é parceiro da Secretaria Municipal de Cultura de Santos na ativação cultural da Vila dos Criadores e com a Secretaria Municipal de Turismo nas ocupações MAIS música autoral e independente santista da Rua de Lazer. Estabeleceu parcerias ainda com o Sesc Santos para a Semana Mundial do Brincar 2017 e com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente do município de Santos a partir do projeto Rua de Brincar, realizado mensalmente em região de alto vulnerabilidade social do município.

O que é?

O Komboio Cultural é uma nova viagem que une e reúne artistas de tantas linguagens, para na rua encontrarem o público, levando a arte onde o povo está!

Quando e onde?

05 maio 
Zona Noroeste - Praça da Paz Universal - das 14h às 19h

09 junho 
Morro da Nova Cintra - Praça Guadajara  - das 14h às 19h

04 agosto 
Caruara - Portinho de Caruara - das 14h às 19h

Diário da Copa

RUSSIA 2018
Faltam
dias para a Copa

Colunas

Contraponto