Trabalhadores da Sabesp definem realização de greve nesta terça-feira, dia 7

A decisão será tomada durante assembleia que ocorrerá na sede do Sindicato dos Urbanitários de Santos e Região (Sintius)

Comentar
Compartilhar
06 ABR 201514h29

Os trabalhadores da Sabesp da Baixada Santista e do Vale do Ribeira estarão reunidos em assembleia nesta terça-feira, dia 7, às 18 horas, para deliberar a realização de uma greve, por tempo indeterminado, a partir da zero hora desta quarta-feira, dia 8.

A decisão será tomada durante assembleia que ocorrerá na sede do Sindicato dos Urbanitários de Santos e Região (Sintius), que fica na Rua São Paulo, 24/26, Vila Belmiro, em Santos.
O motivo dessa possível paralisação é o impasse para resolver as pendências do ACT (Acordo Coletivo de Trabalho) 2014/2015.

A categoria exige várias melhorias, como PCS (Plano de Cargos e Salários (PCS) e ajustes nos critérios de cálculo da PLR (Participação dos Lucros e Resultados) para que os companheiros não sejam prejudicados pela crise hídrica que afeta o Estado.

O movimento paredista seria deflagrado em ambas regiões no dia 19 de março, mas os trabalhadores aceitaram a proposta de aguardar até o dia 7 de abril para que a Sabesp apresente uma solução às reivindicações apresentadas.

O desembargador Davi Furtado Meirelles, do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos Coletivos do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), havia recomendado a suspensão da greve e a categoria decidiu dar esse último voto de confiança à estatal.

Na reunião do TRT, o magistrado chamou a atenção da Sabesp pela demora em solucionar as pendências do ACT, conforme havia sido estabelecido em outubro de 2014.

O presidente do Sintius, Marquito Duarte, deixou claro que essa seria a última chance para a Sabesp resolver essas questões definidas no ACT 2014/2015 e que, dificilmente, a categoria aceitaria suspender uma greve pela terceira vez.