Sindicatos querem emendas para Medida Provisória

Sindicalistas portuários pretendem incluir emendas na MP 595 , e prometem greve geral para fevereiro.

Comentar
Compartilhar
16 DEZ 201214h14

Os sindicatos de trabalhadores do porto de Santos debateram na última sexta-feira, as emendas apresentadas à Medida Provisória 595, do Governo Federal, que trata das novas regras para os portos do País.

As emendas à MP, que trata de mudanças nos portos brasileiros, foram apresentadas, primeiro, em Brasília, a deputados, pelas três federações nacionais das categorias (FNP, FNE e Fenccovib). Os dirigentes cuidarão também da organização de caravana à Capital Federal, em fevereiro.

Segundo o presidente do Sindicato dos Estivadores, Rodnei Oliveira da Silva, Nei,a comissão de deputados e senadores que analisará a MP iniciará seus trabalhos em 18 de fevereiro.

“Nesse dia, trabalhadores e sindicalistas de todos os portos estarão em Brasília”, adianta o sindicalista. Segundo ele, a estiva de Santos pretende ir à Capital Federal em quatro ônibus.

Nei explica que o prazo para aprovação da MP é 17 de março. Os sindicalistas terão em mãos as emendas apresentadas pelas federações aos parlamentares e debaterão os efeitos de cada uma delas na garantia do mercado de trabalho.

O presidente do Sindicato dos Operários Portuários (Sintraport), Robson de Lima Apolinário, está preocupado com os cursos de capacitação profissional da categoria.

As novas regras anunciadas pelo Governo Federal vão regulamentar as atividades portuárias e revogar a atual lei 8.630/93 (Foto: Matheus Tagé/DL)