Motoristas querem fim da dupla função

Condutores afirmam que continuam recebendo dinheiro nos ônibus municipais de Santos

Comentar
Compartilhar
22 NOV 201311h24

Os motoristas de ônibus das linhas municipais de Santos reclamam que continuam recebendo dinheiro de passageiros para o pagamento de passagens.
No início do ano, a Prefeitura anunciou que o cartão-transporte seria a única maneira de pagamento nos ônibus de Santos.

Com a medida, o Executivo santista tinha como objetivo que os motoristas se dedicassem exclusivamente à condução do veículo. Dessa maneira, retiraria a responsabilidade do motorista em cobrar e providenciar o troco das passagens, evitando assim o exercício da dupla-função.

O Diário do Litoral (DL) conversou com alguns condutores, que preferiram não se identificar com receio de retaliações. Eles foram unânimes: o pagamento com dinheiro continua sendo realizado com frequência.

“No começo da exclusividade foi uma maravilha. Os passageiros só utilizavam cartão. Agora, é meio a meio, continuamos recebendo dinheiro e dando troco”, afirma um motorista.

Reportagem do Diário do Litoral conseguiu flagrar seis pessoas pagando passagem com dinheiro nos ônibus (Foto: Matheus Tagé/DL)

O DL realizou duas viagens nos ônibus de Santos na última terça-feira, em linhas diferentes. A Reportagem conseguiu pagar as duas passagens com moeda. Durante o trajeto, 50 passageiros entraram nos veículos. Desse total, apenas seis pagaram a passagem com dinheiro.

Em nota, a Prefeitura confirmou que os motoristas seguem recebendo pagamento em dinheiro das passagens. Porém, o Executivo e a CET permanecem estimulando o embarque com o uso do cartão de transporte, a fim de que os motoristas se dediquem exclusivamente à direção dos veículos.

Ainda segundo a nota, apenas 5% dos usuários continuam utilizando moeda nos ônibus.

Era previsto

De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Santos e Região, José Alberto Torres Simões, o Betinho, a entidade já previa que a continuidade de pagamento com dinheiro.

“O sindicato previu isso porque o Ministério Público fez a Prefeitura assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) obrigando os motoristas a aceitarem dinheiro. Por isso, o sindicato orienta a população a aderir totalmente aos cartões”, afirma Betinho.