Greve no polo industrial entra na terceira semana

Trabalhadores recusam proposta salarial feita por empreiteiras e voltam a se reunir em assembleia hoje. Se não houver acordo, a greve vai para julgamento no Tribunal do Trabalho, em SP

Comentar
Compartilhar
19 MAI 201411h05

Os 4.800 operários do consórcio Tomé & Technip, que presta serviços à Refinaria Presidente Bernardes de Cubatão (RPBC Petrobrás), iniciarão, hoje, a terceira semana de greve. Eles e 3.400 empregados de outras empreiteiras aprovaram a continuidade da paralisação, em assembleias na última sexta-feira. Nova assembleia será realizada hoje.

O Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial (Sintracomos) prepara detalhado levantamento para divulgação  sobre o número de trabalhadores e empreiteiras paralisadas. E de quantas fizeram acordos.

O pessoal da Tomé Technip recusou de novo, nesta quinta-feira, os 10% de correção salarial, vale-refeição de R$ 20 por dia, participação nos lucros ou resultados (PLR) de 1,3 salário e pagamento dos dias parados.

Eles reivindicam aumento real de 10% acima do INPC dos 12 meses anteriores à data-base de maio, correspondente a 5,62%. Na terça-feira retrasada (6), segundo dia de greve, havia 14 mil homens parados.

Cerca de 8 mil empregados mantêm a paralisação por melhores salários (Foto: Vespasiano Rocha/Divulgação)

O presidente do sindicato, Marcos Braz de Oliveira, Macaé, continua no aguardo de negociações para evitar o julgamento da greve pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP).

Os grevistas haviam recusado, na semana passada,  correção salarial de 8%, vale-refeição de R$ 19 por dia ou R$ 418 mensais, PLR de 1,3 salário e pagamento dos dias de greve.