Greve nas empreiteiras em Cubatão completa duas semanas

Os 4.800 operários e 2700 empregados de outras sete empreiteiras aprovaram a continuidade da paralisação

Comentar
Compartilhar
15 MAI 201419h28

Os 4.800 operários do consórcio Tomé & Technip, que presta serviços à Refinaria Presidente Bernardes de Cubatão (RPBC Petrobrás), completarão, nesta sexta-feira (16), duas semanas de greve.

Eles e 2700 empregados de outras sete empreiteiras aprovaram a continuidade da paralisação, em assembleias na manhã desta quinta-feira (15), que se repetirão às 7 horas desta sexta-feira (16).

Nesta quinta-feira (15), mais quatro empresas fizeram acordo com o Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial (Sintracomos).

São elas Almeida Júnior, Elfe, WN e Consórcio Integradora, URC, Engevix, Niplan e NM, com cerca de 500 operários. Das 37 empresas paralisadas desde 5 e 6 de maio, sete continuam nessa situação.

O pessoal da Tomé Technip recusou de novo, nesta quinta-feira, os 10% de correção salarial, vale-refeição de R$ 20 por dia, participação nos lucros ou resultados (plr) de 1,3 salário e pagamento dos dias parados.

Eles reivindicam aumento real de 10% acima do INPC dos 12 meses anteriores à data-base de maio, correspondente a 5,62%. Na terça-feira retrasada (6), segundo dia de greve, havia 14 mil homens parados.

A greve nas empreiteiras em Cubatão completa duas semanas nesta sexta (Foto: Vespariano Rocha)

Negociar

O presidente do sindicato, Macaé Marcos Braz de Oliveira, continua no aguardo de negociações para evitar o julgamento da greve pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP).

Na segunda-feira (12), os grevistas haviam recusado correção salarial de 8%, vale-refeição de R$ 19 por dia ou R$ 418 mensais, ‘plr’ de 1,3 salário e pagamento dos dias de greve.

Na semana passada, as empreiteiras ofereciam correção de 6,62%, aplicados nos salários e benefícios, também rejeitada pelos trabalhadores. O TRT chegou a propor, conciliatoriamente, 7,12%.

Acordos

O sindicato já fez acordo com 29 empreiteiras, com 6500 mil trabalhadores, garantindo correção salarial de 10%, vale-refeição de R$ 20 por dia, ‘plr’ de 1,3 salário e pagamento dos dias parados.

As empreiteiras que haviam feito acordos atém ontem, quarta-feira (14), eram Alvarez e Muniz, Brasmil, Comau, Crimontec, Egassignato, Engepro, Eqserv, Geplan.

Mais: Ideal, Imc Saste, Industec, Isotec, Itororó, Kajiwara, Manserv, MCE, Meta, Mus, Nobre, Perfecta, Pinturas Ypiranga, Potencial, Realtec, Walb e WRM.