Câmara busca consenso para votar hoje o fim do fator previdenciário

Na terça-feira (20), três partidos promoveram obstrução dos trabalhos legislativos para pressionar a votação nesta quarta (21)

Comentar
Compartilhar
21 NOV 201213h41

A votação do fim do fator previdenciário, prevista inicialmente para esta quarta-feira (21), conforme antecipou na edição de segunda-feira 19 de novembro, o Diário do Litoral, depende ainda de um consenso nas negociações. A informação é do presidente da Câmara, Marco Maia(PT/RS).

O projeto conta com o apoio de partidos da base aliada, apesar de o governo sinalizar que é contrário a mudanças no sistema previdenciário. As negociações com a base aliada do Governo começaram logo cedo.
 
Maia quer garantias de que, se aprovado, o projeto não será vetado. "Queremos votá-lo sem que haja a perspectiva de veto para que ele se transforme em realidade. Se não, estaríamos enganando os trabalhadores e trabalhadoras brasileiros"
 
O próprio líder do PT, deputado Jilmar Tatto (SP), disse que o sentimento geral dos deputados é aprovar o texto que cria um mecanismo alternativo ao fator previdenciário, impedindo a redução das aposentadorias.
 
Manifestação 
 
As centrais sindicais promoveram uma manifestação ontem, no Salão Verde da Câmara, pelo do fim do fator previdenciário. Lideranças do PR, PDT e PTB apoiaram a reivindicação dos sindicalistas.
 
Pela proposta em discussão na Câmara, o fator previdenciário poderia ser substituído pela fórmula 85/95, na qual o benefício atinge o valor máximo quando a soma da idade e do tempo de contribuição for de 85 anos para mulheres e de 95 para homens. Hoje, o fator incide sobre as aposentadorias por tempo de serviço, reduzindo o valor do benefício.
 
A sessão extraordinária do Plenário desta terça-feira (20) foi suspensa devido à obstrução  levantada por  PTB, PR e PDT que querem inviabilizar as votações até que o fim do fator seja pautado.
 
Pressão e até vigília para que votação do fim do fator ocorra nesta quarta
 
Sindicalistas e aposentados de todo o país permanecem em vigília em Brasília pressionando pela votação do fim do fator previdenciário. Nesta quarta-feira, a mobilização será às 15h no Salão Verde da Câmara, pois o projeto que extingue o mecanismo deve ser votado ainda hoje pelos deputados.
 
“Este é o momento de mobilizarmos toda a sociedade para acabar com esse verdadeiro assalto que o governo faz contra os trabalhadores”, afirmou Paulo Pereira da Silva, Paulinho da  Força Sindical, deputado pelo PDT e presidente da central. “É um absurdo que quem trabalhou a vida inteira não tenha o direito a uma aposentadoria digna”,completou.
 
O fator  previdenciário foi criado em 1998, durante o governo Fernando Henrique Cardoso e, na prática, diminui em até 40% os valores das aposentadorias dos trabalhadores. Isso significa nada menos que R$ 9 bilhões retirados todos os anos do bolso dos trabalhadores. O fim do fator chegou a ser aprovado pelo Congresso em 2010, mas o então presidente Lula vetou o projeto, mantendo o fator. As discussões sobre sua extinção ocorre há 13 anos.

Colunas

Contraponto