Banner gripe

Votação do fim do fator previdenciário pode ficar para 2013

Sem consenso com o Governo, alguns parlamentares tentam adiar votação prevista para a próxima terça (20)

Comentar
Compartilhar
18 NOV 201218h30

O projeto que extingue o fator previdenciário, e que é aguardado por milhares de trabalhadores em todo País, pode ter sua votação, que estava prevista para a próxima terça (20), adiada para 2013. O presidente da Câmara Federal, Marco Maia (PT/RS) diz que a matéria é polêmica e que deputados ainda tentam acordo com o governo sobre o tema, afirmou o parlamentar na última quarta-feira, antes do final de semana prolongado.

Sindicalistas de todo País organizam caravanas e vão estar em Brasília, a fim de pressionar os parlamentares para votar o fim do fator previdenciário.
De acordo com o presidente, a definição concreta da pauta só será decidida no início da próxima semana, quando fará a avaliação de quais propostas têm acordo entre os líderes de bancada para votação.
 
“O fator entra nesse quadro de propostas polêmicas para serem votadas na próxima semana. Nós estamos ainda tentando costurar um acordo para a votação do fator previdenciário com o próprio governo”, disse Maia a jornalistas.
 
Fim do fator é uma luta antiga das centrais (Foto: Divulgação)
 
Sem veto
 
“Nós não queremos votar o fator previdenciário apenas por votar. Queremos votar o fator previdenciário num acordo com o governo e que a partir disso se possibilite o não veto e a resolução definitiva desta matéria. Se for votar apenas por votar, eu prefiro não votar”, afirmou.
 
Atualmente, o fator previdenciário, mecanismo criado em 1999 para evitar aposentadorias precoces no setor privado, leva em conta a idade do trabalhador ao pedir a aposentadoria, o tempo de contribuição e a expectativa de vida. 

Colunas

Contraponto