X
Santos

Santista de 8 anos se destaca em campeonatos de xadrez escolar no País

Membro do Clube de Xadrez de Santos e estudante de escola pública de Santos, Elisa Feng conquistou o campeonato brasileiro deste ano

Elisa Feng, santista de 8 anos, é destaque em campeonatos nacionais / Divulgação/ PMS

A santista Elisa Feng, 8 anos, conquistou neste ano o tricampeonato paulista e foi campeã brasileira de xadrez escolar. Ela é aluna de uma unidade escolar municipal no bairro do Embaré, em Santos, e define o xadrez como uma diversão.       

O campeonato brasileiro foi a disputa mais recente, realizada no final de setembro, em Minas Gerais. Depois de seis rodadas, Elisa ficou com a melhor colocação na categoria sub-9 feminino. “Não imaginava que fosse conseguir o primeiro lugar, mas me concentrei e deu tudo certo”, disse a menina.

A inspiração e a paixão pelo esporte vieram da irmã de 11 anos, Sophia, que também coleciona títulos na modalidade. Elisa contou que desde os 4 anos vê a irmã mais velha jogar. “Com cinco, a Sophia me ensinou um pouco. Com seis, já comecei a ter aulas de xadrez aqui na escola, com o professor Wlamir”, explicou Elisa, que já faz parte do Clube de Xadrez de Santos.

“Treinamos em nosso tempo livre, uma ajuda a outra. Eu acredito muito nela. Temos também o auxílio do professor”, destacou Sophia, que foi aluna da ‘Cidade de Santos’ até o 5º ano e atualmente cursa o 6º ano em uma escola particular através de bolsa estudantil. Ela foi vice-campeã, em 2019, e campeã neste ano no campeonato paulista.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Segundo o professor Wlamir Pestana Ursini, que atua na escola onde Elisa estuda, o talento das irmãs foi percebido durante as aulas do projeto Xadrez na escola, desenvolvido pela Seduc (Secretaria de Educação), do qual fazia parte. “Por causa da pandemia, o projeto foi interrompido temporariamente na escola, mas continuamos os treinamentos por meio da organização Caminho do Sol, fundada por mim há alguns anos, voltada para o ensino deste esporte”, acrescentou. 

Ele ressaltou que leciona em escolas públicas e particulares, desta forma, ao identificar crianças e adolescentes com habilidades no xadrez, as convida para fazer parte dos grupos de treinamento da ONG. “A Elisa é especial porque, de todas as que treinamos, foi a primeira aluna da rede pública a conquistar o campeonato brasileiro. Ela é de um nível muito avançado e tem um futuro brilhante pela frente”.   

O próximo passo é conseguir patrocínio para disputar o campeonato sul-americano, com previsão de ser realizado no início de 2022, no Equador. “Este é o nosso desafio”, falou Wlamir, que afirmou ser gratificante ver a evolução de seus alunos. “É um trabalho feito com amor”. 

Para a diretora da UME Cidade de Santos, Márcia Paiva, as conquistas de Elisa e Sophia motivam os outros estudantes. “Além disso, o trabalho feito pelo professor é muito importante e ultrapassa os muros da escola”. 

A professora do 3º ano, classe da Elisa, Rosana d’Andrea Masullo, contou que ela é um exemplo. “Orgulho para toda a turma. Ela é muito rápida nas atividades e consegue ajudar os outros colegas”, completou. 

Benefícios

Independentemente de ser ou não um atleta profissional, o xadrez traz muitos benefícios para todos os praticantes. “Desenvolve o raciocínio lógico, concentração, disciplina, memorização, resolução de problemas, além de outros ensinamentos de qualquer esporte, como saber ganhar e perder”, explicou Wlamir. 

Na rede municipal, após o retorno das aulas presenciais, o projeto de xadrez está retornando de maneira gradativa. Hoje, está presente em quatro unidades, sob a orientação do professor Fernando Luiz Simões de Aguiar.

Outros profissionais estão passando por formação para que a iniciativa seja ampliada. A unidade que mais se destaca na modalidade é a UME Maria de Lourdes Borges Bernal (Castelo), conquistando muitos troféus em campeonatos como o brasileiro e o paulista de xadrez escolar.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mongaguá

62 anos de Mongaguá: “O principal desafio é continuar o trabalho e devolver a autoestima ao morador”

“A ideia é ter uma cidade diferente e que as pessoas tenham mais dignidade e oportunidade”, destaca prefeito

Turismo

Réveillon: para onde ainda é possível viajar e por quanto

Levantamento mostra quais destinos estão sendo mais buscados, para onde ainda é possível viajar e o preço médio

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software