X

Santos

Restauração das fachadas do Teatro Municipal de Santos começa neste mês

Trata-se da segunda fase de restauro do edifício que vai completar 44 anos no dia 10 de março

Da Reportagem

Publicado em 22/02/2023 às 20:04

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Fachada passará por obras após restauração da cobertura / Divulgação/PMS

A preservação do conjunto arquitetônico do Centro de Cultura Patrícia Galvão, em Santos, depende da sua modernização. Com o passar dos anos, as estruturas de concreto do Teatro Municipal Braz Cubas foram sofrendo com a ação do tempo. Para interromper o processo de deterioração, começa após o Carnaval o restauro dos principais elementos de concreto do edifício: os brises (anteparos para barrar a incidência direta do sol) e as fachadas de concreto.

Os serviços serão executados de maneira a não interferir no funcionamento do teatro. Trata-se da segunda fase de restauro do edifício que vai completar 44 anos no dia 10 de março. A primeira fase, concentrada na cobertura, foi entregue no ano passado.

A Secretaria de Infraestrutura e Edificações (Siedi) é a responsável pela obra que deverá ser executada no prazo de 12 meses pela construtora Mollinari Ltda., vencedora do processo licitatório com o valor de R$ 4.795.608,73, incluindo material, equipamentos e mão de obra. Os recursos são de convênio com o governo do Estado, por meio do Dadetur 2021.

OBRA PLANEJADA

Um projeto contratado e desenvolvido pela equipe do arquiteto Júlio Katinsky – coautor do projeto de construção desse importante equipamento santista - traça diretrizes visando as preocupações decorrentes da modernização em várias frentes: recuperação do Teatro, macrodrenagem e intervenções emergenciais.

“Com o projeto global desenvolvido pelo arquiteto Júlio Katinsky, um dos coautores do projeto original, o Município pode planejar as obras a serem executadas em etapas, para recuperar cada equipamento do complexo com eficiência, respeitando esse patrimônio tão valioso da cidade de Santos”, afirma a arquiteta Valéria Affonso, chefe do Departamento de Planejamento de Obras da Siedi.

Cobertura de concreto do Teatro foi totalmente restaurada

A obra na cobertura do Teatro Municipal de Santos, também a cargo da Siedi, abrangeu toda a área de 4,2 mil m². O trabalho envolveu demolição e retirada da cobertura deteriorada, limpeza com hidrojateamento e aplicação de novo sistema de impermeabilização, com várias camadas.

O material utilizado na restauração protege a cobertura contra rachaduras ou possíveis problemas de impermeabilização, provocados pelo tráfego de pessoas ou equipamentos pesados, durante serviços de manutenção.

Foi utilizada uma manta de PVC e proteção mecânica, que é um revestimento em argamassa com uma camada final à base de poliuretano transparente, para ampliar a durabilidade da intervenção. O restauro da cobertura do Teatro Municipal foi um investimento de R$ 2,1 milhões, oriundo do Estado, por meio do Dadetur.

Teatro Municipal tem estrutura arrojada

O Teatro Municipal Braz Cubas foi projetado por dois arquitetos santistas, Osvaldo Correa Gonçalves e Abrahão Sanovicz, e também pelo paulistano Júlio Katinsky, que tiveram seus trabalhos reconhecidos na época em Bienais de São Paulo. Sua estrutura arrojada, elaborada com as mais modernas técnicas em arte cênica, possui mais de 5 mil m² de área construída. A acústica do teatro ficou a cargo do arquiteto polonês Ivo Sresnewsky e a cenotécnica foi realizada por Aldo Calvo.

Inaugurado em 1979, nesses mais de 40 anos de existência abrigou peças teatrais, apresentações de óperas, além de edições do Festival Santista de Teatro Amador e do Festival Música Nova, e também inúmeros shows com grandes nomes da música instrumental, erudita e da MPB. Mas com o passar dos anos as estruturas de concreto foram sofrendo a ação do tempo, como pode comprovar a avaliação do Instituto de Pesquisas Tecnológicas – IPT, em abril de 2014.

ARTE E CULTURA

O Centro Cultural de Santos, hoje denominado Centro de Cultura Patrícia Galvão, é composto pelo Teatro Municipal Braz Cubas, Museu da Imagem e do Som de Santos (Miss), além de salas diversas para aulas de artes, teatro, música, dança etc. e salas para administração. Possui ainda biblioteca, ateliê, área para exposições e área para estacionamento, totalizando mais de 2,3 mil m² de área construída em um terreno de 12,5 mil m².

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Diário Mais

Mau presságio? Branqueamento de corais pode ser sinal da morte dos oceanos; entenda

Estruturas são a base do Oceano

Nacional

Não perca as contas: você sabe quantas vezes o cantor Fábio Jr. se casou?

A lista é bem extensa e pode confundir os fãs

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter