X
Santos

Condomínio é multado em mais de R$ 4 mil após zelador despejar tinta e atingir canal de Santos

Funcionário foi identificado pelas câmeras do CCO ao descartar a substância na rede pluvial na Praça Washington, no José Menino

Flagrante do descarte irregular da tinta foi feito pelas câmeras do Centro de Controle Operacional (CCO) / Divulgação/ PMS

Um zelador que despejou baldes com tinta azul na rede pluvial na Praça Washington, no José Menino, e atingiu o canal da Avenida Barão de Penedo, foi identificado pela Prefeitura de Santos nesta segunda-feira (29). O flagrante foi possível pelas câmeras do Centro de Controle Operacional (CCO) e o condomínio em que ele trabalha, situado na praça, acabou multado em R$ 4.363,50.

O descarte irregular ocorreu na quarta-feira (24), chegando até a um bueiro e, em decorrência de chuva na sexta-feira (26), se espalhou em parte da rede de drenagem até atingir o trecho do canal. A coloração da água foi normalizada ainda na sexta-feira.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

O coordenador de Controle Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), João Cirilo Fernandes Wendler, afirma que as imagens do CCO, captadas na quarta-feira, foram fundamentais para se chegar às cenas do zelador escoando a tinta azul. Ele inclusive aparece com a calça suja de tinta. Wendler diz que o zelador admitiu que despejou a tinta, mas afirmou que não imaginava que produziria aquele resultado no canal.

“Quando ele jogou na rede ficou ali e, com o encanamento seco, não tem força suficiente para ir até o canal. Quando choveu, a água levou a tinta para dentro do canal”, explicou o coordenador. O descarte de latas de tinta segue a Logística Reversa (Lei Federal 12.305 e Lei Municipal 952/2016), ou seja, o consumidor deve devolver ao ponto de venda.

Legislação

A infração pelo descarte irregular está prevista na Lei Municipal 817/2013, artigo 3°, inciso IV, que dispõe sobre lançar resíduos sólidos, líquidos ou gasosos ou detritos, óleos ou substâncias oleosas em desacordo com as exigências estabelecidas em leis ou atos normativos. Conforme prevê o artigo 7°, a multa pode variar de R$ 50 a R$ 50 milhões.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Brasil

1ª criança vacinada no país, Davi estuda em escola com maior Ideb das redes estaduais do Brasil

Escola Estadual Honorato Faustino, em Piracicaba, alcançou o índice de 8,8 em 2019

Cotidiano

Fonte interativa musical é nova atração da Praia de Pitangueiras, em Guarujá

Novo cartão-postal está na Praça dos Expedicionários, coração da Praia de Pitangueiras, e promete encantar pessoas de todas as idades com 115 jatos de água reaproveitável, iluminação especial e sonorização embutida

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software