Dilma tem 'monopólio da aparição', diz deputado tucano

O presidente do Diretório Estadual do PSDB, Duarte Nogueira, aposta num crescimento consistente dos candidatos da oposição a partir das convenções partidárias

Comentar
Compartilhar
07 NOV 201319h14

O presidente do Diretório Estadual do PSDB de São Paulo, deputado Duarte Nogueira, creditou nesta quinta-feira, 7, a vantagem que a presidente Dilma Rousseff registra nas pesquisas de intenção de voto, como na apurada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) encomendada à MDA Pesquisa, ao "monopólio de aparição" exercido por ela. "Hoje, existe um monopólio de aparição da presidente, tanto na imprensa quanto por um abuso", disse.

Nogueira aposta num crescimento consistente dos candidatos da oposição a partir das convenções partidárias e do início da publicidade eleitoral gratuita de televisão, em 2014, quando haverá "um equilíbrio no debate". Nesta quinta-feira, a CNT divulgou, em parceria com a MDA, um levantamento de acordo com o qual a presidente tem 43,5% das intenções de voto, no cenário eleitoral mais provável para a campanha de 2014. Nesse mesmo quadro, o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), tem 19,3% das intenções de voto; o presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, marca 9,5%. Dilma soma mais votos que Aécio e Campos juntos e seria reeleita no primeiro turno nesse cenário, se o pleito fosse hoje.

O deputado Duarte Nogueira, creditou a vantagem que a presidente Dilma Rousseff registra nas pesquisas ao

"A presidente só se mantém nesse patamar pelo exíguo espaço de tempo da oposição. Os dois candidatos da oposição (Aécio e Campos) nunca disputaram uma eleição presidencial", disse o presidente do Diretório Estadual do PSDB de São Paulo e deputado "Só a partir de meados do ano que vem, com as convenções partidárias e, sobretudo, em agosto, vai se colocar o contraditório numa discussão menos desequilibrada", afirmou.

Nogueira afirmou ainda que o presidente nacional do PSDB e senador de Minas Gerais tem potencial de crescimento nas intenções de voto a ser explorada, o que não ocorre no caso de Dilma. "Há um nível de desconhecimento ainda muito grande e a tendência dos candidatos da oposição é crescer", afirmou. "O Aécio tem um teto (de intenções de voto) bem acima das intenções que ele tem hoje, diferentemente da presidente Dilma", concluiu.