Japonês do Funk teria recebido e-mail com ameaças de morte

O empresário e ex-candidato a vereador foi encontrado morto por asfixia

Comentar
Compartilhar
29 NOV 201213h27

A Reportagem do Diário do Litoral apurou que o Japonês do Funk teria recebido um e-mail com ameaças de morte. O teor da mensagem estaria relacionado a prejuízos devido a sua derrota nas urnas na campanha para vereador. Pessoas próximas a ele, ouvidas pelo DL, contam que o empresário estava triste com sua segunda derrota. 

Na última eleição realizada, o empresário teve 3.631 votos. Foi o sétimo vereador mais votado em Santos. Ele não se elegeu porque sua legenda, o Partido Progressista (PP), não conseguiu sufrágios suficientes.

Noite do crime
 
Japonês do Funk esteve até a meia-noite com Nelson Pereira Ramos Júnior em uma residência na Rua Saturnino de Brito. Ao sair do imóvel, o empresário avisou que iria para casa. 

Por volta da 0h30, Japonês ligou para o amigo avisando que iria passar em seu escritório para pegar um celular. Nelson ligou às 2h para Japonês e não conseguiu falar com ele.  

Logo depois, o rapaz foi para a residência, notou que a porta estava semi-aberta e entrou pela garagem, que era de fácil acesso, encontrando o colega sem vida. 

Investigações

O mistério sobre a morte do empresário e ex-candidato a vereador Ricardo Yoshimi Arato Vatanabe, de 42 anos, começa a se desvendar. Para a Polícia Civil, trata-se de um assassinato. Se a motivação do crime foi patrimonial ou não, somente o andamento das investigações poderá esclarecer.
 
A vítima foi encontrada por volta das 2h de ontem, em um poltrona, com dois fios de televisão amarrados em seu pescoço, em uma casa que usava como escritório na Rua Nove de Julho, no Marapé. Asfixia por estrangulamento foi a causa da morte. Além das lesões causadas pela compressão dos fios, Japonês do Funk apresentava ferimentos na cabeça, causados possivelmente por agressão.

Durante o dia de quarta-feira (28), o delegado titular do 2º DP de Santos, Luiz Eduardo Fiore Maia, ouviu três testemunhas. Todas elas possuíam vínculos de amizade com o empresário e tiveram com a vítima momentos antes de sua morte. “Foram depoimentos relevantes”, pontuou o delegado.
 
Três câmeras de monitoramento estavam instaladas na residência. Entretanto, elas pararam de funcionar por volta das 20h. “Preliminarmente fomos informados que as câmeras funcionavam normalmente, que elas não paravam de gravar em nenhum momento”, explica Maia. 

As imagens de uma câmera de monitoramento de uma casa ao lado serão utilizadas nas investigações. Denúncias sobre a autoria do crime devem ser transmitidas pelo telefone 3234-6901.

Enterro

Por volta das 10h30 desta quinta-feira (29), o empresário Ricardo Vatanabe, foi enterrado no Memorial Necrópole Ecumênica em Santos. Dezenas de familiares e amigos próximos acompanharam o cortejo fúnebre e seguiram a limusine que estava com o corpo do ex-candidato a vereador.

Ricardo Vatanabe foi enterrado no Memorial Necrópole Ecumênica em Santos (Foto: Luiz Torres/DL)
 

 

Colunas

Contraponto