Decretadas prisões de acusados de assaltar casa do prefeito de Mongaguá

Sergio Gabriel Santos Souza e João Vitor Nunes Leonel seguem foragidos

Comentar
Compartilhar
28 AGO 2018Por Gilmar Alves Jr.11h17
João Vitor Nunes Leonel e Sergio Gabriel Santos SouzaJoão Vitor Nunes Leonel e Sergio Gabriel Santos SouzaFoto: Divulgação/Polícia Civil e Reprodução

A Justiça decretou as prisões temporárias de Sergio Gabriel Santos Souza e João Vitor Nunes Leonel, que são acusados de assaltar a casa do prefeito de Mongaguá, Rodrigo Casa Branca (PSDB), na última quinta-feira (23). Os dois homens seguem foragidos. 

A pedido do delegado Ruy de Matos Pereira Filho, titular de Mongaguá, as ordens de captura foram expedidas na última sexta-feira (24). A equipe de Pereira Filho e do investigador-chefe, Rogério Pinto, identificou os acusados analisando as imagens de monitoramento do crime. 

João Vitor Nunes Leonel já tinha antecedente criminal na Delegacia de Mongaguá e em comparação de imagens os policiais o identificaram. 

Sergio Gabriel foi captado pelo sistema de monitoramento usando casaco. Em uma foto em uma rede social, ele aparece usando a mesma peça de vestuário, o que auxiliou o trabalho de identificação.

As mães dos acusados reconheceram os próprios filhos como os autores,  segundo a polícia. 

O crime

Os assaltantes invadiram a casa, no bairro Vera Cruz, na manhã de quinta e renderam inicialmente a empregada doméstica. Depois eles abordaram a mulher do político, o filho e o piscineiro. Todos foram amordaçados, enquanto os bandidos subtraíam pertences e ­dinheiro.

O segurança de Casa Branca chegou ao local durante o assalto e lutou com um dos ladrões. O comparsa o rendeu e subtraiu sua pistola. Na sequência, o segurança foi levado para dentro da residência e também foi amordaçado.

Os bandidos fugiram levando aliança, bijuterias, um celular, R$ 260,00 e um equipamento do sistema de monitoramento. As imagens, porém, ficaram armazenadas e a Polícia Civil teve acesso. (GAJ)