Após furtos em série, colombiano é preso em Santos

Comerciante do Gonzaga chegou ao acusado após checar sistema de monitoramento. Comparsas não foram localizados

Comentar
Compartilhar
29 JAN 201418h22

Integrante de uma quadrilha que cometia furtos, um colombiano de 22 anos foi preso pela Polícia Militar no início da noite de terça-feira (28), no Gonzaga, em Santos. C.A.R. estava sentado em frente a uma loja na Rua Marcílio Dias, por volta das 19h40, quando foi reconhecido e contido pelo dono de um box que foi alvo da quadrilha três horas antes, na mesma rua.

Imagens captadas pelo sistema de monitoramento do box de aparelhos eletrônicos, que fica em um centro comercial, possibilitaram ao comerciante descobrir o grupo que cometeu o delito. Durante buscas nas imediações do centro de compras, o comerciante se deparou com o colombiano.

Com o estrangeiro, policiais militares recuperaram três celulares furtados no bairro Aparecida no mesmo dia.

Os policiais descobriram que a quadrilha também agiu em uma ótica no Praiamar Shopping e nas dependências do Sesc Santos, logo após o furto no box de eletrônicos. Hoje (29), também chegou ao conhecimento da polícia um quarto furto, ocorrido em uma loja de importados também na Rua Marcílio Dias.

À direita, colombiano durante furto da quadrilha em box de eletrônicos, no Gonzaga (Foto: Reprodução)

O empresário que ajudou na captura do colombiano relatou à polícia que o acusado chegou ao box com mais cinco pessoas por volta das 16h30. O grupo simulou interesse na aquisição de produtos. Durante diálogo com os comerciantes, um dos criminosos se apoderou de um iPhone 5s, cujo preço supera R$ 2,8 mil.

Na ótica do Praiamar a quadrilha furtou o celular de uma vendedora e dois pares de óculos do estabelecimento. No Sesc Santos a vítima foi uma mulher que preenchia papeis relacionados a um evento. O celular estava sobre uma cadeira quandoi foi subtraído. Os celulares destas duas vítimas estavam com o colombiano. 

Conduzido à Central de Polícia Judiciária (CPJ), o acusado foi autuado em flagrante por furto qualificado e associação criminosa, sendo recolhido à cadeia. Durante o interrogatório, ele disse estar no Brasil há dois meses.