X

PARAÍSO DOS TURISTAS

Peruíbe, uma cidade muito além das praias

Belezas naturais e cachoeiras são os principais atrativos aos visitantes

Nayara Martins

Publicado em 18/02/2024 às 07:10

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Conhecida como o Portal da Juréia, a Cidade se localiza entre o mar e o Parque Estadual da Serra do Mar / Nair Bueno/DL

Peruíbe, que completa 65 anos, é uma cidade que vai muito além das praias. Com belezas naturais e cachoeiras, em meio à Mata Atlântica, o município atrai inúmeros turistas e moradores, localizada no litoral sul de São Paulo. E possui cerca de 32 quilômetros de belas praias.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Conhecida como o Portal da Juréia, Peruíbe se localiza entre o mar e o Parque Estadual da Serra do Mar. Uma das áreas de proteção ambiental é a Estação Ecológica Jureia-Itatins, importante santuário ecológico do Brasil.
Entre as atrações está a cachoeira do Paraíso, localizada no Parque Estadual Itinguçu, na Estação Ecológica Jureia-Itatins. O acesso é feito pela estrada Guaraú-Una. Fica a uma distância de cerca de 25 quilômetros do centro de Peruíbe.

A visitação é controlada pela Fundação Florestal, órgão da Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo. O limite é de até 270 pessoas, por dia, para visitantes e atividades de educação ambiental. 
A subida até o poço principal é feita por uma trilha de 250 metros e a queda d´água é de aproximadamente seis metros de altura.

Há ainda as corredeiras do Perequê, com piscinas naturais. O acesso também é feito pela estrada Guaraú-Una.
Outra atração de beleza natural é a Passarela do Balça, localizada no bairro Guaraú, com acesso pela avenida do Telégrafo. Trata-se de uma passarela de madeira, com cerca de 70 metros, sobre o mangue do rio Guaraú.

O Boulevard do Guaraú, no mesmo bairro, também oferece boa estrutura com bancos e área de lazer. No local podem ser feitos passeios de barco para conhecer o rio Guaraú. 

O Portinho de Pesca é mais um ponto turístico. De lá saem os barcos de pesca no rio Preto, que desagua no mar. Tem o Mercado de peixes, um local ideal para se comprar os peixes e frutos do mar mais frescos. O acesso é pela avenida Mário Covas, no sentido da estrada do Guaraú.

Ruínas do Abarebebê

As Ruínas do Abarebebê formam um dos patrimônios históricos mais ricos da arquitetura nacional. No local estão as bases de uma igreja, uma das primeiras do Brasil erguida no século XVI, para catequizar os indígenas. Nas imediações foi instalado o segundo colégio de meninos do Brasil e formou-se o aldeamento de São João Batista.

Aldeias indígenas

A Terra Indígena Piaçaguera também merece ser visitada em Peruíbe. São cerca de 300 indígenas tupi-guarani que vivem em 11 aldeias. As aldeias trabalham com o Turismo de Base Comunitária. Os indígenas recebem os visitantes, contam a sua história, como vivem e sobre a cultura tupi-guarani. Grupos podem conhecer as trilhas ecológicas na mata. Fica na divisa entre os municípios de Peruíbe e Itanhaém.

História

Peruíbe é uma das cidades que se confunde com o descobrimento do Brasil pelos portugueses, em 1500. Na época já existia na região a aldeia dos Índios Peroibe, que pertencia à Capitania de São Vicente. 

Com a presença dos padres jesuítas pelo litoral de São Paulo, em 1549, chegou o padre Leonardo Nunes para a catequese dos índios, onde já havia sido construída a primeira Igreja de São João Batista. Os indígenas o apelidaram de “Abarebebê”, o que significa “padre voador” em tupi-guarani.  

Em 1554, o padre José de Anchieta chegou ao aldeamento. No ano de 1640, passou a ser conhecida como Aldeia de São João Batista e, em 1789, os padres jesuítas foram expulsos do Brasil. Apesar de ter entrado em declínio, a aldeia pertencia a Itanhaém.

A partir da construção da Estrada de Ferro Santos-Juquiá, vieram novos habitantes, em 1914. A bananicultura fortaleceu a região. Nos anos 50, com a construção de rodovias de acesso ao Litoral Sul, a atividade comercial começa a crescer. 

A emancipação política de Peruíbe se deu com o plebiscito, em 24 de dezembro de 1958. E em 18 de fevereiro de 1959 é que o distrito passou a ser um município independente, já que pertencia a Itanhaém. 
As eleições municipais ocorreram em 15 de novembro de 1959 e a posse do prefeito, do vice-prefeito e dos nove vereadores aconteceu em 1º de janeiro de 1960. Desde o dia 18 de fevereiro de 1959 até a posse dos eleitos em janeiro de 1960, o município foi administrado pelo prefeito de Itanhaém Harry Forssell e o vice Miguel Simões Dias.

O primeiro prefeito de Peruíbe foi Geraldo Russomanno e o vice-prefeito Albano Ferreira.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Sabesp interrompe abastecimento de água em bairros de São Vicente

Serviços podem interferir no fornecimento nesta semana e na próxima

RODOVIAS

Consórcio Litoral Paulista vence leilão de concessão do Lote Paulista

Evento aconteceu na manhã desta terça-feira (16)

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter