X

Peruíbe

Livro infantil conta histórias indígenas em Peruíbe

'Contos da vovó e do vovô tupi guarani' conta histórias da cultura indígena tupi guarani na aldeia Tapirema

Nayara Martins

Publicado em 05/02/2024 às 08:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

São histórias contadas ao pé do fogo, sobre como surgiu a mandioca, a Yara, o significado do cachimbo da paz e outras / Nair Bueno/DL

“Contos da vovó e do vovô tupi guarani” é o título do livro infantil que está sendo lançado pela aldeia Tapirema, em Peruíbe. No livro, a comunidade indígena conta as histórias dos mais antigos e ainda resgata a cultura indígena tupi guarani, na região da Terra Indígena Pìaçaguera.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

A liderança da aldeia Tapirema Catarina Delfina dos Santos, de 75 anos, explica “a história surgiu porque os meus avós e os mais velhos sempre contavam como viviam e suas histórias na aldeia, por isso resolvemos registrar para que as crianças da comunidade saibam”. 

“O registro dessa história da aldeia Tapirema, de sua cultura e da tradição indígena é muito importante para nós”, completa Catarina.       

São histórias contadas ao pé do fogo, sobre como surgiu a mandioca, a Yara, o significado do cachimbo da paz e outras que mantém viva a cultura do povo tupi guarani. Nesses contos e encantos estão histórias ancestrais que percorrem parte do território no Brasil.  

Segundo Catarina, o livro também pode ser usado pelas professoras aos alunos das escolas que funcionam em outras aldeias na Terra Indígena Piaçaguera.  

O livro tem diversas ilustrações de Wanessa Ribeiro e grafismos de Mimby Tupy coloridas, com 48 páginas. De capa dura, ele conta com o patrocínio da ONG Vivência na Aldeia.O título foi lançado com o apoio da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo por meio do Proac.

Interessados em adquirir o livro podem ir na aldeia Tapirema ou entrar em contato com o site.

Troca de cultura

Neste final de semana acontece o encontro com os povos indígenas Maoris, da Nova Zelândia, a partir de sexta (2) até domingo (4), na aldeia Tapirema.

“O objetivo do encontro é promover um intercâmbio entre as duas comunidades indígenas com a troca de cultura e experiência com os povos Maori, da Nova Zelândia”, destaca.

Catarina explica que eles receberam o patrocínio pelo governo da Nova Zelândia para conhecer a cultura indígena dos povos originários no Brasil. Os Maoris são os povos indígenas da Nova Zelândia que habitavam as terras antes dos colonizadores britânicos. Eles são polinésios e correspondem a 14% da população do País. 
“Vamos fazer a fogueira, apresentar nossas danças e comidas típicas nossa, além deconhecer as deles”, salienta.

Para este mês também está programado o Encontro de Saberes dos mais antigos, com cursos sobre fitoterapia, o cachimbo da paz e a espiritualidade, entre outros temas. Acontece entre os dias 10 e 12 deste mês, no feriado de carnaval. 

No ano passado participaram do encontro 150 pessoas na aldeia Tapirema.
Interessados em se inscrever e participar do Encontro de Saberes podem fazer a inscrição no instagram @vivêncianaaldeia ou no site.

A aldeia Tapirema se mantém com o projeto de Turismo de Base Comunitária, por meio das visitas de grupos de pessoas interessadas em conhecer a cultura indígena e como vivem. Além da venda do artesanato indígena.

Na comunidade vivem 12 famílias e 30 indígenas, sendo 28 adultos e 12 crianças. A aldeia também possui uma escola indígena, onde estudam 12 crianças e adolescentes, matriculados em classes multisseriadas – do 1º ao 5º ano e da 6º ao 9º ano do ensino fundamental.  

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Economia

Com prejuízo de R$ 500 mi, Carrefour anuncia o fechamento de 123 lojas

Entre as unidades fechadas, 16 são hipermercados da própria marca; os demais são de bandeiras Todo Dia, Nacional e Bom Preço

Polícia

Mulher é estuprada dentro de delegacia em Guarujá; agressor é preso

Funcionária da Delegacia Sede da Cidade sofreu a violência dentro de sua sala de trabalho; homem foi preso em flagrante

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter