Dicas para montar home theater para a Copa

Nada melhor que transformar a sala em cinema e chamar a família toda para torcer junto

Comentar
Compartilhar
16 JUN 201415h27

Em ano de Copa do Mundo fica todo mundo de olho na TV. Você pode estar entre os sortudos que vão assistir a algum jogo ao vivo, ou pode combinar com os amigos de acompanhar partidas num bar. Mas certamente vai ver alguns embates na televisão de casa. Se o aparelho já está garantido, talvez seja um bom momento para investir em um home theater, para deixar a partida ainda mais animada.

Nem sempre é preciso fazer uma obra dispendiosa para transformar a sala de TV num minicinema – ou, neste caso, num estádio privê. Segundo a arquiteta Marcy Ricciardi, de São Bernardo do Campo, o mais importante é posicionar corretamente as caixas de som e esconder os fios. “Para que haja menos intervenção na sala, o melhor é usar um painel de marcenaria. Ele esconde os fios, que passam por trás da peça”, explica. Se estiver disposto a fazer obra um pouco maior, é possível quebrar a parede da TV e concentrar toda a fiação em um cano de PVC largo.

Já as caixas de som podem ser embutidas num forro rebaixado de gesso ou distribuídas pelos móveis da sala. Marcy explica que três delas devem ser posicionadas na frente da TV – para isso, o próprio raque pode ser usado. Outras duas caixinhas de som ficam no fundo da sala, apoiadas ao sofá, sobre mesas laterais ou diretamente no piso. Na impossibilidade comprar caixas de som sem fios, esconda-os sob o tapete. A maior caixa do kit, o subwoofer (que transmite os sons graves), deve ser colocada no chão, de preferência junto ao móvel da televisão. “É recomendável que o subwoofer fique no chão porque ele trepida bastante”, recomenda a arquiteta.

A dica vale para outras ocasiões. Mas, em dia de jogo da Copa, quem é o louco que não estará na frente da TV? (Foto: Divulgação)

Também é importante garantir que o som se mantenha na sala do home theater. Para isso, o ideal é reservar um local que pode ser isolado do resto da casa, separado com uma porta. Porém, com apartamentos cada vez menores e salas integradas, isso fica cada vez mais complicado. “A solução é investir em elementos que reverberem menos o som”, defende Marcy. Isso inclui móveis de madeira, tapetes e estofados, ou ainda uso de espuma antichamas, fixada embaixo da mesa ou da escrivaninha. Essas medidas garantem que o som vaze menos para as outras áreas e permite que os moradores que não estejam vendo TV mantenham rotinas independentes.