X

DEPUTADOS ESTADUAIS

Deputados tomam posse hoje na Alesp; veja quem deve ser o presidente

Com atraso em relação ao Brasil, os 94 deputados estaduais de SP tomam posse nesta quarta; veja o perfil do provável novo presidente da Casa

Bruno Hoffmann

Publicado em 15/03/2023 às 10:43

Atualizado em 15/03/2023 às 10:48

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), na Capital / Divulgação/Alesp

Com atraso em relação a todo o Brasil, os 94 novos deputados estaduais tomam posse na tarde desta quarta-feira na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). A expectativa é que André do Prado (PL) seja escolhido como o presidente da Casa em votação logo após a posse (leia mais abaixo), nome que agrada ao governador Tarcísio de Freitas (Republicanos).

A análise inicial é que os partidos que formam a base do governador terão maioria na Casa e, por isso, o chefe do Executivo não deve ter dificuldades em aprovar suas pautas prioritárias, como a privatização da Sabesp.

Em relação à composição por gênero, a Alesp terá um recorde de mulheres. Serão 25 deputadas, ou 26,6% da Casa, ainda longe da equidade. Em 2018, 18 foram eleitas.

A Assembleia terá apenas 18 dos 94 eleitos que se autodeclaram pretos ou pardos. O número, porém, representa um avanço em relação à última legislatura, quando havia 10 negros no parlamento paulista.

Esta será a última vez que a posse será em 15 de março. A partir de 2027, por decisão dos parlamentares paulistas em 2019, a data para empossar os novos deputados será 1º de fevereiro.

Presidência da Alesp

Já está tudo garantido para o deputado estadual André do Prado ter uma eleição tranquila à presidência da Alesp nesta quarta-feira, quando os novos parlamentares tomam posse e escolhem a Mesa Diretora pelos próximos 2 anos.

O parlamentar tem o apoio do governador Tarcísio de Freitas, do presidente do PL, Valdemar Costa Neto, de deputados bolsonaristas e até do PT.

“Não há outra força. Hoje o André é a única opção que se fala por aqui, tanto pela situação quanto pela oposição”, garantiu um dos assessores mais experientes da Casa à reportagem da Gazeta.

Prado conquistou o apoio de boa parte dos partidos de oposição ao se comprometer a seguir a proporcionalidade. Pela regra, cargos da mesa diretora são distribuídos em função do tamanho das bancadas de cada legenda. Com o segundo maior número de deputados (18), o PT se beneficia do princípio.

O partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve ser escolhido para primeira secretaria da casa. Com a terceira maior bancada (9 deputados), o PSDB deve assumir a segunda secretaria e o Republicanos, a vice-presidência.

Prado deve ter só um adversário: Carlos Giannazi (PSOL), que garantiu à Gazeta na última sexta-feira (10) que colocará seu nome para votação: “Serei candidato”, afirmou, ao ser questionado sobre o tema.

Giannazi, porém, deve receber votos apenas da própria bancada do PSOL, que conta com cinco nomes ao total. A expectativa é que Prado receba pelo menos 80 votos dos 94 integrantes da Casa.

De perfil conciliador e discreto, o ex-prefeito de Guararema está no terceiro mandato consecutivo na Alesp. Ele deve substituir Carlão Pignatari (PSDB), eleito no início de 2021.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Guarujá amplia horário comercial até meia-noite

Comerciantes da região podem manter seus estabelecimentos abertos das 8 horas até a meia-noite

Polícia

Adolescente mata pais a martelada e ateia fogo no quarto

O crime teria ocorrido após uma discussão da família

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter