ANIVERSÁRIO

Caçula do litoral, Mongaguá faz 63 anos nesta quarta

No século XVI, segundo historiadores, emissários de Martim Afonso de Souza, em suas viagens pelo litoral paulista, paravam em Mongaguá para descansar

Nayara Martins

Publicado em 07/12/2022 às 08:55

Comentar:

Compartilhe:

Prefeito afirma que Mongaguá cresce em média mais acelerada do que as vizinhas / Nair Bueno / Diário do Litoral

Mongaguá, que completa 63 anos de emancipação político-administrativa nesta quarta-feira, dia 7, é a caçula do litoral sul. A Cidade possui cerca de 60 mil habitantes, conforme o IBGE. É uma palavra indígena que significa "água pegajosa", dada pelos indígenas guaranis que viviam às margens dos rios Mongaguá e Aguapeú.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

No século XVI, segundo historiadores, emissários de Martim Afonso de Souza, em suas viagens pelo litoral paulista, paravam em Mongaguá para descansar. Parte do território atual de Mongaguá situava-se, na época, na Capitania de São Vicente e outra em Itanhaém.

A construção da rodovia Padre Manoel da Nóbrega, ligando Mongaguá a São Paulo, deu um grande impulso ao crescimento do distrito. Em 24 de Dezembro de 1948 foi criado o Distrito de Mongaguá e incorporado ao município de Itanhaém.

Dez anos depois, o movimento de emancipação cresceu e o plebiscito foi marcado pelo juiz da 119ª Zona, para 7 de dezembro de 1959. E em 31 de Dezembro de 1959, o governador Jânio Quadros, assinou a lei e Mongaguá foi elevada à categoria de Cidade. 

A data do aniversário de Mongaguá passou a ser comemorada no dia do plebiscito e não na data da elevação à categoria de Município. 

Mongaguá foi também elevado à Estância Balneária no dia 7 de dezembro de 1977.

BELEZAS NATURAIS.
Mongaguá, localizada no litoral sul de São Paulo, se destaca por apresentar 13 quilômetros de belas praias. A Cidade possui ainda diversos pontos de atração turística e de belezas naturais, aos que procuram relaxar e apreciar a natureza.

Um exemplo é o Poço das Antas, no Parque Turístico Umberto Salomone, um dos pontos turísticos mais visitados por turistas e moradores. Trata-se de uma queda-d'água que forma uma cachoeira, terminando com uma piscina de água natural. É um recanto ecológico e dispõe de uma boa infraestrutura, com banheiro, pontes com corrimão, lanchonetes, guarita e estacionamento. Funciona das 9h às 17h.

Outro ponto interessante é o Morro da Padroeira, localizado no Centro. Com mais de 15 metros de altura e cerca de 2,5 toneladas, a imagem de Nossa Senhora Aparecida está instalada em uma trilha urbana feita em uma passarela de madeira com 150 metros de extensão. São 139 degraus em meio a mata nativa. De lá pode-se avistar pássaros silvestres e, no deck, 30 metros acima do chão, é possível ter uma visão privilegiada da região. Funciona das 8h às 17h.

A Feira de Artesanato é mais opção de lazer na região central da Cidade. No total são 98 quiosques com arquitetura própria de madeira maciça e tijolos aparentes. É um dos melhores lugares para quem quiser comprar o artesanato local nos finais de semana e feriados.

A praia do Centro é uma das praias mais procuradas por turistas e moradores. Fica próxima ao centro comercial, à Prefeitura de Mongaguá e à Praça Dudu Samba. 

Mais uma praia bastante movimentada na temporada de verão é a de Agenor de Campos. Ela está situada próxima à Plataforma Marítima de Pesca Amadora e ao Parque Ecológico Turístico, onde também se encontra a Estátua de Iemanjá.

PLATAFORMA.
A Plataforma Marítima de Pesca, localizada em Agenor de Campos, é um dos cenários mais bonitos do País, e bastante procurada pelos amantes da pesca amadora. É a maior plataforma pesqueira em estrutura de concreto armado.

Avança 400 metros mar adentro, forma um "T" e se lança 86m para cada um dos lados. Na entrada há sanitários, local apropriado para lavagem de pescados e apetrechos de pesca. Funciona das 8h às 20 horas.

Outro ponto de destaque é o Parque Turístico Ecológico, em Agenor de Campos. No local são ministradas palestras de educação ambiental aos estudantes, sobre temas como o tráfico de animais silvestres, lixo, reciclagem, conservação da biodiversidade e de áreas verdes.

Há recinto para jabutis, um serpentário com cobras peçonhentas e não peçonhentas, um viveiro de aves, de quatis, jacaré, tucanos e vários aquários. O local, que ainda passa por obras de melhorias, vai reabrir até o final deste mês. Funciona das 9h às 16h.

Mais uma dica de passeio é o Complexo da Zona Rural, onde há diversas atrações, como passar o dia todo pescando, curtir as piscinas de águas naturais ou descansar à sombra de uma árvore. 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nacional

Estado de SP está com mais de 16 mil vagas de trabalho; confira os cargos

Oportunidades estão sendo disponibilizadas pelos vários PATs do estado

Santos

Litoral de SP recebe local para consultas médicas a preços acessíveis; veja o local

Unidade oferecerá uma gama de especialidades, incluindo clínica geral

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter