Apesar de fase vermelha, Guarujá tem cadeiras, guarda-sóis e ambulantes na orla

Mesmo com o tempo fechado neste sábado, alguns veranistas não respeitaram as recomendações do Plano SP

Comentar
Compartilhar
06 MAR 2021Por Estadão Conteúdo18h07
No final da tarde deste sábado, poucas pessoas permaneciam na areia da praia de PitangueirasNo final da tarde deste sábado, poucas pessoas permaneciam na areia da praia de PitangueirasFoto: Diário do Litoral

Mesmo com o tempo fechado neste sábado (6) alguns veranistas não respeitaram as recomendações da fase vermelha do Plano São Paulo e ocuparam as praias, sem fazer o uso de máscara e gerando aglomeração em alguns locais. No Guarujá, o poder público municipal recomenda que a permanência de pessoas nas praias seja restrita apenas à prática esportiva individual. Além disso, para evitar aglomerações, não é recomendada a colocação de cadeiras e guarda-sóis, nem o comércio de ambulantes.

Mas o que se viu na manhã deste sábado na praia de Pitangueiras foi que, mesmo com o tempo nublado, veranistas ficaram na faixa de areia sem praticar atividade física, em grupo e usufruindo do serviço de guarda-sol dos carrinhos de praia. Um dos comerciantes abordados pela reportagem justificou que não tinha informação sobre o que podia fazer ou não neste sábado.

"Por causa da fase vermelha nem movimento tem. Estamos aqui arriscando, porque a gente não sabe o andamento da carruagem. O prefeito não passou avisando ninguém, estamos aqui porque temos que conquistar o nosso ganha-pão, pois parando a gente não ganha nada. Não temos auxílio da prefeitura, do governo, nem de ninguém. Eles só falam para fechar, mas não pensam na gente", explicou o ambulante Benedito Carlos, de 47 anos.

Quando questionado sobre o fato de disponibilizar guarda-sóis e cadeiras aos banhistas, Benedito justificou: "a gente colocou, mas se falarem para a gente que não pode, tiramos. A prefeitura não falou nada, não passou ninguém da fiscalização avisando. Eles não avisam e depois chegam com a multa", disse.

Segundo a Prefeitura do Guarujá, não há proibição para o funcionamento de ambulantes na praia e sim recomendação para que eles não atuem durante a fase vermelha do Plano São Paulo. O Guarujá aposta na orientação para evitar aglomerações e por isso implantou o pedágio educativo na entrada da cidade pela Rodovia Cônego Domenico Rangoni, com o intuito de conscientizar os motoristas que chegarem ao município. Os pedágios funcionam de sexta-feira a domingo, das 7 às 19 horas.

Faixas com mensagens de alerta e sobre a importância do uso de máscaras são apresentadas no semáforo. Além disso, carros de som circulam nas orlas das praias com mensagens de prevenção à covid-19.

Ainda na praia de Pitangueiras, em meio a chegada de pessoas, uma cena se destacou. Dona Francisca, 68 anos, estava com dois funcionários desmontando seu carrinho. Ao ser questionada sobre o motivo da ação, ela justificou: "meus funcionários colocaram o carrinho sem me perguntar se eu vinha, aí quando cheguei aqui os avisei que é fase vermelha e nem descarreguei os produtos do carro. Cada um assume a sua responsabilidade, a minha eu sei que não posso. Por isso, já mandei os funcionários desmontarem. Desde ontem todo mundo estava sabendo que não era pra trabalhar, tem gente fazendo vistas grossas".

Já a professora Josefa Almeida, 58 anos, aproveitou o dia para fazer uma caminhada à beira-mar e criticou as pessoas que estavam na praia desrespeitando as recomendações. "Eu vi no site da prefeitura as informações do que pode e o que não pode fazer na fase vermelha, por isso, estou achando estranho os guarda-sóis e as cadeiras na praia. A população é obrigada a ter regras, pois ela não consegue se disciplinar sozinha. Grande parte está caminhando, mas as outras pessoas estão curtindo, como turistas".