X

Cotidiano

Guarujá aprova lei para acompanhamento psicológico para mulheres vítimas de violência

O atendimento poderá ser feito nas unidades de saúde; iniciativa aguarda regulamentação

Da Reportagem

Publicado em 15/06/2022 às 14:53

Atualizado em 15/06/2022 às 14:58

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Guarujá aprova lei para acompanhamento psicológico para mulheres vítimas de violência / Foto: Hygor Abreu/ Prefeitura de Guarujá

A prefeita de Guarujá, Adriana Machado, sancionou o projeto de lei nº 068/2022, que garante acompanhamento psicológico para mulheres vítimas de violência na cidade. A medida passará agora por regulamentação para aplicação.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

A lei, uma iniciativa da vereadora Sirana Bosonkian (PTB), garante que um profissional da área da saúde seja responsável pelo acompanhamento psicológico da vítima, com o atendimento podendo ser feito em uma das unidades de saúde da Cidade.

Essa é apenas uma das diversas políticas que a Prefeitura de Guarujá possui para o combate à violência contra a mulher. Atualmente, a Cidade conta com o Programa de Cooperação e Código Sinal Vermelho, Programa Recomeçar e Patrulha Maria da Penha, por meio da Guarda Civil Municipal.

Sobre o Programa Recomeçar

O Programa Recomeçar (Decreto 14.865) tem o objetivo de assegurar às mulheres vítimas de violência oportunidades para romper com o ciclo de violência, bem como garantir fortalecimento pessoal e profissional.

São atendidas mulheres vítimas de violência doméstica assistidas pelo Programa Guardiã Patrulha Maria da Penha ou encaminhadas pela Delegacia de Defesa da Mulher, Ministério Público, Defensoria Pública, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher e outros serviços da rede de assistência social do Município.

Entre as diretrizes está à promoção de ações que contribuam para o reconhecimento e valorização dos direitos e da cidadania das mulheres. Para isso, o Programa contará com apoio assistencial, psicológico e qualificação profissional com direcionamento à empregabilidade e incentivo ao microcrédito.

Patrulha Maria da Penha

Guarujá conta também com a Patrulha Maria da Penha, um grupamento da Guarda Civil Municipal (GCM) que atua na fiscalização e prevenção a todas as formas de violência doméstica contra a mulher.

A iniciativa foi instituída pelo Decreto Municipal nº 13.045/2019 e visa à proteção de mulheres em situação de violência, por meio da atuação preventiva e comunitária da GCM - um trabalho articulado com a Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social (Sedeas), Ministério Público do Estado de São Paulo e Delegacia de Defesa da Mulher.

Os guardas-civis atuam mediante a identificação e seleção de casos pelo Ministério Público. A equipe monitora o cumprimento das medidas protetivas com o objetivo de combater a violência física, psicológica, sexual, moral e patrimonial contra as mulheres, conforme legislação vigente, além da responsabilização dos autores de violência contra a mulher.

Durante as visitas, a equipe verifica se a mulher e seus dependentes necessitam também de atendimento médico e psicológico, e os casos são encaminhados para a rede socioassistencial do Município. Esse apoio é considerado importante para que ela consiga superar os traumas e recomeçar.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

VLT

Segurança no VLT em 2023 é luz no fim do túnel para moradores do José Menino

Por inúmeras vezes, em reportagens, Associação apontou ponto de usuários de drogas e rota de fuga para assaltantes

SÃO PAULO FC

São Paulo cede empate ao América-MG, mas avança à semifinal da Copa do Brasil

Classificado, o time de Rogério Ceni vai encarar na semifinal o Flamengo, que venceu o confronto contra o Athletico-PR para chegar à semifinal.

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software