Verdão vence com 45min de show de Dudu e Robinho e pressiona rivais

O triunfo põe pressão em dois rivais ultrapassados na classificação geral da primeira fase do Campeonato Paulista

Comentar
Compartilhar
04 ABR 201520h47

A expectativa de grande parte da torcida que foi ao Palestra Itália neste sábado era ver Valdivia estrear em 2015 no segundo tempo, mas o Palmeiras resolveu o jogo contra o Mogi Mirim antes mesmo do intervalo. Graças a ótima atuação de dois teoricamente concorrentes do chileno: Dudu e Robinho, que construíram juntos e praticamente sozinhos – com gols e assistências – a vitória por 3 a 1.

Na segunda etapa, além do golaço do adversário, marcado por Geovane aos três minutos, Valdivia e companhia atuaram com um jogador a menos, depois de expulsão de Vitor Hugo. Sem atuar desde dezembro do ano passado por conta de lesão muscular na coxa esquerda, o camisa 10 até mostrou bons dribles e movimentação, não sem errar alguns passes. Atuação que, embora muito esperada, não se sobressaiu às dos titulares do meio-campo.

O triunfo põe pressão em dois rivais ultrapassados na classificação geral da primeira fase do Campeonato Paulista. O time treinado por Oswaldo de Oliveira agora soma 30 pontos (em vantagem sobre o Santos nos critérios de desempate e com um ponto a mais do que o São Paulo - ambos jogam neste domingo). Já o Mogi Mirim, com 20 pontos, dá adeus ao sonho de conquistar a segunda vaga do grupo A em razão de vitória do Red Bull.

Independentemente do resultado dos rivais, o Palmeiras chegará à última rodada, na quarta-feira, em condições de brigar pela segunda melhor campanha e consequentemente ter direito a vantagens na fase final. Diante do Ituano, seu último adversário, não terá em Itu, além do zagueiro Vitor Hugo (que foi além na tentativa de zerar cartões), também o goleiro Fernando Prass, o volante Arouca e o meia Dudu, que se limitaram a forçar o terceiro cartão amarelo para voltarem nas quartas de final.

Verdão vence com 45min de show de Dudu e Robinho e pressiona rivais (Foto: Anderson Rodrigues/FRAME)

Neste sábado, como prometido por Oswaldo de Oliveira, a atitude do Palmeiras foi bastante diferente em comparação com a do fim de semana passado, na derrota para o Red Bull, em Campinas. Assim que o Mogi Mirim deu o pontapé inicial, a equipe da casa imprimiu velocidade, adiantou a marcação e acuou o adversário. Não demoraria muito para a estratégia surtir efeito.

Aos 11 minutos, Cristaldo foi acionado pelo lado direito da grande área e tirou dois marcadores de ação com um toque de calcanhar para Robinho. O meia rolou à esquerda para Dudu, que vinha de trás e finalizou rasteiro, no canto esquerdo do goleiro Daniel. Dois minutos depois, Dudu fez desarme e iniciou jogada que terminou em perigoso arremate de Rafael Marques.

Mal deu tempo para o Mogi se recuperar do golpe. No lance seguinte, Dudu recebeu lançamento no meio-campo e ajeitou a bola com o peito para Robinho. Seu parceiro tocou de volta, recebeu novamente e enfiou de primeira para deixar Dudu nas costas da defesa. Após a rápida e envolvente tabela, o camisa 7 disparou em direção à área e chutou cruzado para ampliar.

O início avassalador palmeirense destruiu qualquer estratégia do Mogi, que esteve perto de diminuir a diferença no placar somente graças a um cabeceio arriscado de Vitor Hugo contra a própria linha de fundo. Para sorte do zagueiro, o goleiro Fernando Prass conseguiu se esticar a tempo para colocar a bola para escanteio. No mais, nenhuma jogada efetivamente assustou a torcida da casa antes do intervalo. Nem mesmo uma falta frontal cobrada aos 28 minutos.

Bem postada e treinada, a equipe de Oswaldo de Oliveira marcaria o terceiro em questão de tempo. Depois de outras tentativas entre Dudu, Robinho e Cristaldo, o trio funcionou mais uma vez aos 37 minutos. Dudu arrancou pela ponta esquerda e encontrou Cristaldo dentro da área. O centroavante devolveu o passe a Dudu, que retribuiu as duas assistências de Robinho e viu o companheiro enfiar o pé para o Palmeiras balançar a rede pela terceira vez na etapa inicial.

A não ser pela entrada de Valdivia, o começo do segundo tempo teve mais lamentação do que festa na arquibancada. Aos três minutos, após bela tabela com Rivaldo Júnior pela ponta esquerda, Geovane recebeu bola frente a frente com Fernando Prass, encobriu o goleiro e diminuiu a diferença. O golaço irritou a torcida palmeirense, que se acalmou ao ver Valdivia substituir Cristaldo, aos 17 minutos, porém se preocupou com o segundo cartão amarelo recebido por Vitor Hugo seis minutos mais tarde.

Com um a menos, Robinho foi sacado para que Jackson entrasse e acertasse a defesa. Mesmo precisando da vitória para evitar a eliminação, o time visitante não voltou a pôr em risco a meta de Fernando Prass. Ao contrário do Palmeiras, que ficou mais perto do quarto gol até os intantes finais. Inclusive com Valdivia, que recebeu passe de Dudu dentro da área e errou a pontaria. O chileno, porém, ganhou aplausos por embaixadinhas e seu famoso chute no vácuo.