Tite insiste que não se anima com possibilidade de prejudicar rivais

O gaúcho balançou negativamente a cabeça em todas as vezes em que ouviu a dor dos rivais ser usada como motivação para o Corinthians

Comentar
Compartilhar
17 ABR 201519h56

Tite não chegou a berrar, como fez na entrevista coletiva concedida logo após o empate sem gols com o San Lorenzo, mas não mudou a sua forma de encarar os clássicos que o Corinthians tem pela frente. A sua equipe enfrentará o Palmeiras pela semifinal do Campeonato Paulista no domingo e poderá colaborar com uma eliminação do São Paulo da Copa Libertadores da América na quarta-feira.

“Vejo esses jogos com o peso da satisfação, da valorização do trabalho de uma equipe. Não sinto prazer com a tristeza de um torcedor de outro clube”, discursou o técnico Tite, sereno, mas veemente, nesta sexta-feira.

O gaúcho balançou negativamente a cabeça em todas as vezes em que ouviu a dor dos rivais ser usada como motivação para o Corinthians. O Palmeiras atravessa um processo de reestruturação sob o comando de Oswaldo de Oliveira, que certamente sofrerá abalo em caso de derrota em Itaquera. Já o São Paulo tenta adquirir confiança enquanto espera um sucessor de Muricy Ramalho e entraria em crise com uma eliminação precoce na Libertadores.

Tite não se anima com a possibilidade de prejudicar rivais (Foto: Agência Corinthians)

“Respeito quem pensa assim, mas não vejo o mal dos outros como benefício próprio. Não consigo enxergar dessa forma. Na minha escala de valores, o trabalho bem feito, a chance de manter um padrão de desempenho com diferentes atletas relacionados e outros fatores técnicos são mais importantes”, insistiu Tite, que já chegou a expor a sua torcida pela classificação do São Paulo na Libertadores.

Por outro lado, eventuais fracassos terão efeito inverso no Corinthians. O time que ficou bastante badalado por sua invencibilidade em jogos oficiais na temporada enfrentará as primeiras cobranças mais duras se cair no Campeonato Paulista e acumular uma derrota para o São Paulo na sequência.

“Sei que corremos esse risco. Algumas pessoas avaliam o resultado. Outras, o trabalho. Tenho consciência disso e me preparei para o que pode acontecer. Mas, ainda assim, prefiro priorizar o desempenho, a qualidade do que estamos fazendo, ao simples resultado”, concluiu Tite.