Sem sustos, São Paulo quebra jejum e vai às oitavas ao bater Corinthians

O adversário do São Paulo nas oitavas de final será o Cruzeiro. Classificado de antemão como primeiro da chave, o Corinthians, por sua vez, terá pela frente o Guaraní-PAR

Comentar
Compartilhar
23 ABR 201500h02

O São Paulo não fez seu torcedor passar susto, como havia imaginado na véspera o capitão Rogério Ceni, e avançou às oitavas de final da Copa Libertadores ao ganhar até de forma tranquila, na noite desta quarta-feira, seu primeiro clássico em 2015. Diante de um Corinthians já classificado – e que atuou com um jogador a menos desde os 18 minutos, após expulsão de Emerson –, Luis Fabiano e Michel Bastos traduziram em gols a boa atuação na vitória por 2 a 0, no Morumbi.

No começo do segundo tempo, o árbitro Sandro Meira Ricci, pressionado um dia antes pela diretoria do São Paulo em virtude de seu histórico extenso de expulsões em jogos da equipe, mandou mais dois jogadores para o vestiário: Luis Fabiano e Stiven Mendoza, que se estranharam em disputa de bola na lateral. O são-paulino recebeu o segundo cartão amarelo por empurrar o corintiano, que foi expulso diretamente ao tentar revidar e não acertar o adversário, a despeito de sua simulação. Com dez contra nove, o placar poderia ter ficado ainda mais elástico.

O adversário do São Paulo nas oitavas de final será o Cruzeiro. Classificado de antemão como primeiro da chave, o Corinthians, por sua vez, terá pela frente o Guaraní (Paraguai). Ainda indefinidas, as datas serão desmembradas entre as três próximas semanas. Como ambos os times foram eliminados na semifinal do Campeonato Paulista, é possível que eles só voltem a campo daqui a duas semanas. O time tricolor decidirá a classificação fora de casa, ao passo que a equipe de Tite, dona de atuações ultimamente pouco convicentes, jogará a segunda partida em Itaquera.

Além de quebrar o jejum são-paulino depois de cinco clássicos sem vitória e de pôr fim à invicta série corintiana de 25 jogos no ano, o resultado tirou da competição o San Lorenzo, que simultaneamente só empatou com o saco de pancadas do grupo 2, o uruguaio Danubio, em Buenos Aires. A equipe argentina, que precisava vencer e dependia ainda de um tropeço de seu concorrente, se despedirá do torneio continental sem conseguir defender o título ganho no ano passado.

No Morumbi, após subir ao gramado ao som de uma versão em rock do hino do clube lançada minutos antes, o São Paulo escalado pelo técnico interino Milton Cruz acuou o rival desde o início. Logo no primeiro minuto, Paulo Henrique Ganso protegeu bola na ponta direita e ganhou falta boba de Fagner. Na cobrança de Reinaldo, Luis Fabiano cabeceou rente à trave esquerda de Cássio. Um minuto depois, em outra bola alçada para a área, a defesa cedeu novo escanteio. Pouco depois, Ganso recebeu passe de Michel Bastos e finalizou em cima da marcação.

Luis Fabiano abriu caminho para a vitória do Tricolor (Foto: Levi Bianco/Brazil Photo Press)

O único lampejo ofensivo do Corinthians foi uma jogada individual de Fagner, que se levantou depois de carrinho de Dória e poderia dar seguimento ao lance - com Vagner Love livre de marcação dentro da área - não fosse Sandro Meira Ricci apitar falta. Pressionado pela diretoria do São Paulo na véspera da partida, o árbitro seria mais tarde questionado justamente por uma decisão que prejudicou o outro lado do confronto: aos 18 minutos, ele mostrou cartão vermelho a Emerson por um chute que propositalmente desequilibrou Rafael Toloi fora do lance.

A expulsão do atacante deu ainda mais ânimo aos são-paulinos que estavam na arquibancada e em campo. Luis Fabiano, brigador e perigoso desde o início, seria o primeiro responsável por levar a superioridade também ao placar. Entre uma série de tentativas do ataque – inclusive em arremate de longa distância de Rafael Toloi –, um cruzamento de Reinaldo caiu nos pés do volante Hudson, que chutou a bola no braço do marcador e pediu pênalti. Sandro Meira Ricci nem teve tempo de cogitá-lo, pois Luis Fabiano aproveitou a sobra e finalizou cruzado, no canto direito de Cássio.

Oito minutos mais tarde, Cássio foi o segundo responsável. O goleiro aceitou uma finalização certeira – mas fraca – de Michel Bastos, no canto direito. O segundo gol marcado graças à falha do goleiro corintiano deu confiança para Michel Bastos experimentar de novo, dois minutos depois, e mandar a bola muito longe do gol. Antes do intervalo, o Corinthians também finalizou uma segunda e última vez, com Renato Augusto, igualmente sem pontaria. Houve tempo ainda para os primeiros gritos de "olé" da torcida tricolor.

Sustentar o placar ficaria ainda mais fácil depois de Mendoza ficar em campo por apenas nove minutos. O colombiano, que havia acabado de substituir Love, tentou revidar com o braço um empurrão de Luis Fabiano na lateral e recebeu cartão vermelho direto, assim que o são-paulino simulou ter sido atingido no rosto. Como já tinha amarelo, o brasileiro também foi expulso. Com dez contra nove, o São Paulo ainda acertou uma bola na trave esquerda, em arremate de Denilson, e teve um gol marcado por Souza corretamente anulado. Gols que não fizeram falta para findar um jejum de oito anos sem derrotar o rival em casa e garantir a classificação para as oitavas de final.