Suspenso do MMA, Anderson Silva lutará por vaga no taekwondo em 2016

Reprovado em exames antidoping realizados antes da luta contra o norte-americano Nick Diaz, em fevereiro, o brasileiro está suspenso preventivamente do MMA

Comentar
Compartilhar
22 ABR 201516h10

Ex-campeão do peso médio do UFC, principal evento de MMA do mundo, o brasileiro Anderson Silva tentará se classificar aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016. Nesta quarta-feira, ele confirmou que disputará vaga no taekwondo, modalidade em que começou sua carreira.

Reprovado em exames antidoping realizados antes da luta contra o norte-americano Nick Diaz, em fevereiro, o brasileiro está suspenso preventivamente do MMA. Sua audiência na Comissão Atlética de Nevada, que definirá a pena pelo ocorrido, estava marcada para março, mas foi adiada.

“Estou tentando devolver ao esporte o que ele me deu. Comecei no taekwondo. Voltei a treinar agora. Existe essa possibilidade e sempre foi uma coisa que quis fazer, mas antes não dava porque tinha muitos compromissos no UFC”, explicou o lutador brasileiro, garantido pela Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD) nas seletivas nacionais para o Rio 2016. 

Segundo o próprio atleta, ele parou de treinar taekwondo especificamente aos 17 anos de idade e por isso precisará trabalhar duro em sua preparação, sobretudo pelas mudanças de regras que o esporte sofreu. Anderson Silva completou seu 40º aniversário na última semana.

Anderson Silva tentará se classificar aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016 (Foto: Divulgaação)

“As dificuldades que vou encontrar são muito maiores, mas é um desafio que estou disposto a enfrentar. Não me preocupo em passar vergonha. Tenho que me preparar para isso, mas a expectativa é grande. Não posso deixar de acreditar nos meus sonhos”, afirmou Anderson Silva.

O desejo do lutador de MMA de participar dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016 foi criticado por alguns atletas do taekwondo, que consideram a inclusão de Anderson Silva na briga por vaga nas Olimpíadas um favorecimento ao estrelado atleta. Mesmo ele precisando passar pela seletiva, sua participação nos torneios que definem os brasileiros no Rio de Janeiro já indicariam beneficiamento porque ele não disputou outros torneios, nem tem posição no ranking nacional que o credenciariam a brigar pela vaga.

"As pessoas não vão gostar de algumas coisas que você fizer, não adianta; Sempre treinei para ganhar e também provar que se é possível. Nada é impossível e isso incomoda as pessoas”, garantiu o atleta. “É normal que alguns estejam descontentes. Não vim para tomar vaga de ninguém, nem atrapalhar. Quero retribuir ao esporte o que ele me deu”.

Segundo o presidente da CBTKD, Carlos Fernandes, o formato das seletivas nacionais para os Jogos do Rio de Janeiro em 2016 ainda não está definido, mas as disputas devem começar em janeiro do próximo ano. A presença de Anderson Silva na briga, no entanto, é tratada pelo dirigente como uma honra.

“O Anderson, com esse desejo dele, foi como uma loteria. Diria que ganhamos na Mega-Sena. Está sendo bom para os dois. Anderson é que nem água, se adapta a qualquer circunstância e vai surpreender muita gente”, afirmou Fernandes. “Temos quatro vagas ainda a serem conquistadas. A chapa vai esquentar a partir de janeiro. Meu interesse é que vá o melhor e vamos dar essa reposta na quadra”.