São Paulo reserva vence jogo de interinos e rebaixa Portuguesa

A vitória sob comando de Milton Cruz, além de fazer com que a Portuguesa retorne à segunda divisão depois de três anos, eleva o tricolor para a terceira colocação na classificação geral

Comentar
Compartilhar
09 ABR 201500h13

A Portuguesa está rebaixada à Série A-2 do Campeonato Paulista. A confirmação da péssima campanha se deu na noite desta quarta-feira, com a derrota por 3 a 0 para o São Paulo (com time reserva desde o gol e igualmente comandado por treinador interino), em um Morumbi esvaziado. Os gols foram de Dória, Alexandre Pato e Hudson. O estreante Renan Ribeiro fez apenas uma defesa razoavelmente difícil, no final do segundo tempo, já depois de Edno ter sido expulso e deixado sua equipe com um a menos.

A vitória sob comando de Milton Cruz, que assumiu na segunda-feira em função da saída de Muricy Ramalho, além de fazer com que a Portuguesa retorne à segunda divisão depois de três anos, eleva o São Paulo da quarta para a terceira colocação na classificação geral, com 32 pontos ganhos, já que o Palmeiras não venceu nesta última rodada e foi novamente ultrapassado.

Encerrada a primeira fase, o time tricolor agora terá pela frente o Red Bull, nas quartas de final. A data será decidida em reunião a ser realizada na manhã desta quinta-feira, na sede da Federação Paulista de Futebol. O mais provável é que o confronto, com retorno de Rogério Ceni e companhia, seja disputado no sábado à tarde, no Morumbi.

Os gols foram de Dória, Alexandre Pato e Hudson (Foto: Leandro Martins/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Depois de subir a campo aos gritos de "É Muricy" por parte da principal torcida uniformizada, que curiosamente chegou a pedir a demissão do treinador em meio à má fase da equipe, um São Paulo bastante modificado em relação ao derrotado no fim de semana para o Botafogo não deixou a Portuguesa alimentar por muito tempo a esperança de escapar da queda. Aos nove minutos, Carlinhos cobrou falta pelo lado direito, e Dória, de volta após pouco mais de um mês em recuperação, escorou para o gol.

Dois minutos mais tarde, o São Paulo ampliou. Em jogada semelhante, mas pelo lado direito e com cruzamento rasteiro de Hudson (capitão nesta quarta-feira, na ausência do goleiro Rogério Ceni), Alexandre Pato recebeu bola no meio da área e concluiu de primeira. Foi o primeiro gol do atacante depois de sete partidas. Apesar do jejum, ele segue como artilheiro do time na temporada, agora com nove gols em 15 atuações.

A vantagem trouxe tranquilidade, mas relaxamento ao mesmo tempo. Se o estreante Renan Ribeiro não era ameaçado de fato – embora tenha saído da área em um lance para se antecipar ao ataque adversário –, o São Paulo também só voltou a levar perigo à meta de Rafael Santos aos 36 minutos. Não por acaso, em nova bola alçada para a área. Livre de marcação, Thiago Mendes finalizou, com a bola ainda no alto, e acertou um forte chute na cabeça de Leonardo. O zagueiro impediu o gol e precisou ficar algum tempo caído no gramado antes de se recuperar.

Nos acréscimos, Rafael Santos também teve que sair do gol para abafar lance de Cafu. O goleiro se jogou ao chão e agarrou a bola em cima da linha da área. Aos dois minutos do segundo tempo, ele se atirou de novo, desta vez para tentar evitar que Thiago Mendes o driblasse. O meio-campista, de fato, acabou se atrapalhando com a bola nos pés e foi desarmado.

Aos 11 minutos, depois de ter sido derrubado dentro da área, Cafu errou cobrança de pênalti e viu Hudson se jogar de peixinho para marcar um gol estranho de cabeça. Gol que findou de vez a esperança da Portuguesa, a qual terminaria o jogo com um a menos após Edno acertar uma cotovelada em Paulo Miranda. Daí em diante, a (pouca) torcida são-paulina presente, mesmo sem muito entusiasmo, provocou o adversário pelo rebaixamento. A uniformizada repetiu os gritos de "Muricy", mas aproveitou para pedir por "Luxemburgo". Atualmente no Flamengo, Vanderlei é um dos treinadores que interessam à diretoria do São Paulo.