Santos toma 3 a 0, perde para o Juventude e vê situação ficar desesperadora no Brasileirão

Alvinegro praiano não consegue se afastar da Zona de Rebaixamento e torcida protesta novamente

Comentar
Compartilhar
26 SET 2021Por Estadão Conteúdo18h10
Santos criou boas oportunidades, mas não conseguiu estufar as redes adversáriasSantos criou boas oportunidades, mas não conseguiu estufar as redes adversáriasFoto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

O técnico Fábio Carille chegou a comemorar o fato de ter a semana livre para ajustar o time do Santos visando o confronto diante do Juventude. Mas neste domingo, no duelo realizado em Caxias do Sul (RS), o time paulista seguiu o roteiro das últimas partidas, se mostrou ineficiente e acabou derrotado pela equipe gaúcha por 3 a 0.

O resultado em termos de classificação é complicadíssimo. Com 24 pontos, o Santos segue na parte debaixo da tabela de classificação. E pior, completou o oitavo jogo sem vitória levando em conta só as partidas do Campeonato Brasileiro. O Juventude, que iniciou a rodada na região da degola, soma agora 26. Ricardo Bueno, Dawhan e Guilherme Castilho fizeram os gols que decretaram o revés santista.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp: https://bit.ly/diariodolitoral
Mantenha-se bem informado.

O jogo, que teve a atmosfera de confronto direto na luta para fugir da zona de rebaixamento, mostrou um Santos mais interessado do que o Juventude em buscar o ataque desde o início do primeiro tempo. A opção pelo esquema de três zagueiros deu consistência ao meio de campo e também mais ofensividade no apoio pelos lados. Utilizando mais o setor esquerdo, Felipe Jonatan foi peça importante na criação de opções. Foi dele a inversão de jogada que terminou com um chute de Marinho na primeira boa chance santista.

Sem balançar a rede desde o dia 10 de julho, em jogo contra o Palmeiras, Marinho foi o atacante mais efetivo do Santos em campo. Além de voltar para buscar jogo, ele tentou as jogadas individuais e fez ainda mais uma finalização com perigo.

Sem conseguir se organizar taticamente e oferecendo muitos espaços para as penetrações do adversário, o Juventude seguiu sendo ameaçado. Léo Baptistão perdeu ótima chance ao antecipar um cruzamento na área e mandou a bola rente à trave do goleiro Douglas.

 

O domínio do Santos se estendeu até os 30 minutos, quando veio a parada técnica. A partir daí, a equipe paulista diminuiu a intensidade, mas seguiu com o jogo sob controle. No entanto, numa bola parada, quem acabou chegando ao gol foi o time da casa

Guilherme Castilho cobrou falta da intermediária pelo lado esquerdo e Ricardo Bueno escorou de cabeça para fazer 1 a 0 Juventude. A única finalização do time gaúcho na partida aconteceu já nos acréscimos da etapa inicial.

Na volta do intervalo, o Santos voltou ainda mais ofensivo e com uma marcação no campo do adversário. Para tentar frear o ímpeto do rival, o Juventude apelou para as faltas e, com apenas dez minutos três jogadores do time gaúcho receberam cartão amarelo.

Disposto a tornar o time mais ofensivo, o técnico Fábio Carille também agiu. Abriu mão dos três zagueiros, tirou Danilo Bozza e colocou Diego Tardelli e também lançou Pirani na vaga de Jean Mota. A resposta, no entanto, veio com mais um gol do Juventude. E novamente a bola parada favoreceu o time da casa. Guilherme Castilho cobrou escanteio e Dawhan só desviou na pequena área para fazer 2 a 0, aos 18 minutos.

O Santos não se intimidou e seguiu no ataque. Mas já não tinha organização tática para ameaçar, de fato, o Juventude. Sánchez e Tardelli perderam boas chances de descontar a diferença, mas não teve consistência para manter a pressão. Em mais um contra-ataque, foi o Juventude que mais uma vez balançou a rede. Em uma jogada pela esquerda, Guilherme Castilho recebeu livre na entrada da área e chutou sem chance de defesa para o goleiro João Paulo.

Na próxima rodada, o Santos volta a jogar na Vila Belmiro e recebe o Fluminense. Já o Juventude vai até São Paulo para enfrentar o Palmeiras.