Correndo sério risco de rebaixamento, Santos terá força máxima contra o Juventude

Fábio Carille teve uma semana livre para trabalhar com o elenco do Santos pela primeira vez desde que foi contratado pelo clube, há cerca de duas semanas

Comentar
Compartilhar
26 SET 2021Por Folhapress09h00
Carille teve sua primeira semana completa para poder treinar o PeixeCarille teve sua primeira semana completa para poder treinar o PeixeFoto: Ivan Storti/Santos FC

Fábio Carille teve uma semana livre para trabalhar com o elenco do Santos pela primeira vez desde que foi contratado pelo clube, há cerca de duas semanas. O período foi útil para o treinador não só pela chance de conhecer melhor os jogadores, como para ter à disposição os atletas que se recuperaram de lesões.

Com os retornos de Madson e Carlos Sánchez, o técnico terá força máxima no duelo contra o Juventude neste domingo (26), em um confronto direto para se distanciar da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. A partida no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, às 16h, terá transmissão da Globo e da TNT.

Os santistas estão na 14ª posição e somam 24 pontos, apenas um a mais do que o adversário, que está em 17º, já na parte vermelha da tabela. Bahia e América-MG, empatados com 23, aparecem logo atrás do time paulista, em 15º e 16º. Os dois também jogam neste domingo, respectivamente, contra Internacional e Flamengo.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp: https://bit.ly/diariodolitoral
Mantenha-se bem informado.

O fraco desempenho no Nacional, além dos fracassos nos torneios mata-matas, principalmente a queda recente na Copa do Brasil, aumentaram a pressão sobre o elenco santista, que não vence há nove jogos. A última vitória ocorreu diante do Libertad (PAR), por 2 a 1, na Vila, no jogo de ida pelas quartas de final da Sul-Americana.

Na volta, perdeu por 1 a 0 e acabou eliminado pelo critério do gol marcado pelos paraguaios como visitantes.

A sequência provocou protestos dos torcedores no CT Rei Pelé e até uma emboscada para o elenco logo após a desclassificação no mata-mata nacional, diante do Athletico. Durante esta semana livre, contudo, Carille conseguiu ter um período de certa tranquilidade para trabalhar.

Sánchez acredita que isso poderá fazer a diferença. "Foi importante para nos adaptarmos rápido à ideia e ao sistema que o Carille quer. Com trabalho e dedicação, podemos fazer um grande jogo. É um jogo muito importante, sem pensar no que já passou, mas sim em jogar e ganhar, é o que o treinador pede", disse.

Este será o quarto jogo do técnico à frente do Santos. Por enquanto, ele acumula dois empates em jogos pelo Brasileiro (Bahia e Ceará), além da derrota para o Athletico.