Santos supera lanterna Vitória na estreia do técnico Enderson Moreira

O Santos partiu ao ataque na etapa final, abrindo vantagem em gols de cabeça de David Braz. Dinei descontou também de cabeça, antes que Leandro Damião, criticado até ali, fechasse o placar

Comentar
Compartilhar
06 SET 201421h07

O Santos recebeu o lanterna Vitória, no estádio do Pacaembu, e cumpriu sua meta. Dirigida pela primeira vez pelo técnico Enderson Moreira, substituto do demitido Oswaldo de Oliveira, a equipe alvinegra se soltou no segundo tempo e construiu um triunfo por 3 a 1.

O resultado reabilitou o time praiano no Campeonato Brasileiro, deixando-o com 26 pontos, ainda na faixa intermediária da tabela de classificação. Os comandados de Ney Franco, estacionado nos 15, terminarão o primeiro turno como a pior formação da Série A.

Os pouco mais de 14 mil torcedores no Pacaembu, com ingressos a partir de R$ 5, viram um primeiro tempo muito fraco tecnicamente. O Santos partiu ao ataque na etapa final, abrindo vantagem em gols de cabeça de David Braz. Dinei descontou também de cabeça, antes que Leandro Damião, criticado até ali, fechasse o placar.

Primeiro tempo fraco
Um lance logo aos dois minutos animou a torcida do Santos, que viu Gatito Fernández sair de soco para cortar cruzamento de Lucas Lima. Gabriel ficou com a sobra fora da área e falhou na tentativa de aproveitar o gol vazio. A jogada foi uma amostra ruim do que seria o primeiro tempo.

O time alvinegro encontrou dificuldade para criar, levando perigo mais em erros do Vitória do que por meio de sua inspiração. Após uma saída errada de Luiz Gustavo, que foi obrigado a segurar Lucas Lima a dois passos da meia-lua, Souza bateu falta defendida por Fernández no canto esquerdo. 

O zagueiro David Braz voltou inspirado para o segundo tempo e marcou duas vezes para garantir a vitória (Foto: Giovani Velasquez/Brasil Photo Press)

De um chutão bem ajeitado por Leandro Damião surgiu a oportunidade seguinte, desperdiçada por tentativa de Gabriel de cavar pênalti. Em cobrança de falta de Lucas Lima, o melhor santista na etapa inicial, David Braz teve a melhor chance, cabeceando nas mãos do goleiro.

Mesmo com enorme dificuldade para tocar a bola, o Vitória foi ganhando terreno na base da força, pois, em maioria no meio-campo, geralmente ficava com os rebotes dos chutões. A equipe se fez presente no ataque, com Richarlyson como principal articulador, porém os problemas técnicos eram evidentes.

Com sua torcida impaciente, o Santos ainda esboçou dois lances de maior perigo nos minutos que antecederam o intervalo. No primeiro, Gabriel mostrou fome e carregou a bola até não ter mais o que fazer com ela. No segundo, Thiago Ribeiro bateu com perigo, da entrada da área, balançando a rede por fora. 

Santos no ataque
O começo do segundo tempo foi completamente diferente. O Santos partiu com força ao ataque e, logo de cara, teve chute de Gabriel dentro da área bloqueado. O lance resultou em escanteio batido por Lucas Lima da direita, a um minuto. A bola foi desviada no primeiro pau, e David Braz apareceu para completar de cabeça.

O placar só não foi aberto na sequência porque Leandro Damião perdeu uma chance muito clara, com o gol praticamente aberto após batida de roupa de Fernández. No minuto seguinte, foi a vez de Gabriel receber cruzamento e cabecear livre, na risca da pequena área, mandando por cima.

Com os atacantes descalibrados, coube novamente a David Braz balançar a rede. Novo escanteio batido por Lucas Lima da direita, Edu Dracena ganhou a disputa pelo alto no segundo pau. Praticamente colado ao poste esquerdo, Braz venceu a marcação e cabeceou para ampliar, aos seis.

Ney Franco tentou dar força ao Vitória com Luís Aguiar no lugar de Caio, e a equipe rubro-negra esteve bem perto de levar o terceiro pouco depois. Lucas Lima puxou muito bem a jogada pela esquerda e deixou Thiago Ribeiro na cara de Fernández, que fez ótima defesa. 

Depois de sofrer de novo pelo alto, em cabeceio de Edu Dracena, os visitantes responderam na mesma moeda e conseguiram descontar. Aos 19 minutos, Nino Paraíba recebeu na direita e achou um cruzamento preciso para Dinei. O centroavante cabeceou no canto direito de Aranha.

Mesmo com o gol, Ney Franco fez uma alteração bastante ofensiva, trocando o volante Richarlyson pelo atacante Guillermo Beltran. Já aos 28, Enderson Moreira fez a alegria da torcida ao chamar Rildo, mas a irritou ao não tirar Leandro Damião, preferindo sacar Thiago Ribeiro.

Nesse mesmo minuto, Leandro Damião vacilou na área, perdeu o domínio e viu Gabriel chutar rasteiro. Fernández rebateu, e a bola se apresentou ao próprio Damião, que bateu rasteiro para balançar a rede. Os santistas, risonhos, após o tradicional “uh, tererê”, cantaram “é Damião”.

O Vitória chegou a criar uma chance clara, construída por Beltran, mas Cicinho salvou o que seria o gol de Willie dentro da pequena área e frustrou os visitantes. Com o triunfo assegurado, Gabriel descansou e Enderson permitiu a Damião deixar o campo aplaudido.