Íntimo do clube, Marcelo Fernandes quer pôr em prática tudo que aprendeu

Internamente o nome do ex-auxiliar é sempre muito elogiado. O respaldo sobre seu trabalho vem desde quem gere o clube até o grupo de jogadores

Comentar
Compartilhar
13 MAR 201515h11

Para o torcedor do Santos que não acompanha o clube tão de perto e principalmente para quem não é santista, a efetivação de Marcelo Fernandes pode ter causado surpresa. Mas, internamente, o nome do ex-auxiliar é sempre muito elogiado. O respaldo sobre seu trabalho vem desde quem gere o clube até o grupo de jogadores.

Marcelo Fernandes é nascido e criado na Baixada Santista, iniciou a carreira de jogador na Portuguesa Santista e defendeu o Peixe de 1991 à 1995. Já após aposentar as chuteiras, chegou a trabalhar com Muricy Ramalho no Náutico e, desde 2011, integra a comissão técnica permanente do time de Vila Belmiro. Agora, oficialmente anunciado como o substituto de Enderson Moreira, o treinador quer colocar em prática tudo que aprendeu até aqui.

"Eu quero ter 10% do caráter e da ética do Muricy. Essa história do estilo do treinador, vejo muito o comando com o grupo. É fácil dar onze coletes, mas são sete de fora com bico. E o resto, então. O Muricy tem esse dom, todos adoram ele, assim como o Oswaldo, um cara espetacular. Temos que seguir o que é bom. O que é bom do Muricy, do Oswaldo, do Claudinei (Oliveira), eu tiro como lição para frente”, explicou.

Muitas pessoas entraram em contato com o técnico para parabeniza-lo, entre elas o pai de Neymar, Tata, auxiliar de Muricy Ramalho e Oswaldo de Oliveira. Mas, segundo Marcelo, a primeira pessoa que soube de sua nova função no clube foi sua mãe, mas a conversa com a “a Dona Amélia, mulher de verdade”, durou pouco.

“Mamãe ficou muito feliz, você não tem noção”, contou, aos risos. "Eu falei: ‘mãe, vou ser treinador do Santos’. Ela começou a chorar e acabou o papo”, completou, arrancando gargalhadas de todos que acompanhavam sua entrevista na sala de imprensa no CT Rei Pelé.

Marcelo Fernandes, 43 anos, será auxiliado por Serginho Chulapa e Edinho. E isto é visto como fato fundamental para o treinador, já que chegou a jogar ao lado do ex-centroavante na Briosa e com o filho do Rei Pelé no próprio Santos, sem contar o tempo de trabalho que já adquiriram na comissão técnica do alvinegro praiano.

Internamente, o nome do ex-auxiliar Marcelo Fernandes é sempre muito elogiado (Foto: Divulgação/Santos FC)

“(como auxiliar) Fazemos coisas para nem chegar ao treinador, porque temos que deixá-lo à vontade para exercer o trabalho. O que não dá, ele (o técnico) participa. Agora continua a mesma coisa. O Serginho está dando uma força, o Edinho, o Carlito (Macedo, preparador físico). É importante para o Santos todos estarmos unidos pelo bem do clube”, ressaltou.

Como técnico do Santos, Marcelo recebeu uma gratificação de função, o que significa um acréscimo em seu salário mensal enquanto permanecer no cargo. O mesmo aconteceu com Chulapa e Edinho.

Amigo dos jogadores, peladeiro e sobrinho de um ex-membro do Comitê Gestor do Santos, Marcelo Fernandes quer iniciar seu trabalho de forma bastante tranquila. As vitórias em cima do Botafogo-SP e no clássico frente ao Palmeiras lhe deram crédito. No entanto, ao ter de tratar sobre a pressão que alguns pais de atletas ou empresários exercem nos bastidores da Vila Belmiro, o novo comandante garante que não se deixará influenciar.

“Jamais vou aceitar uma interferência de empresário ou o que for. Estamos tranquilos, com calma, está tudo bem”, afirmou, sempre destacando o bom clima que há hoje entre os jogadores.