Hamilton aposta em Massa forte por novos ares da Williams

O britânico resolveu deixar a escuderia que o apoiava desde as categorias de base para correr pela Mercedes e acredita que uma mudança de time pode ser benéfica ao brasileiro

Comentar
Compartilhar
20 NOV 201316h58

A temporada de 2013 da Fórmula 1 é a primeira do britânico Lewis Hamilton fora da equipe McLaren. O campeão do Mundial de 2008 resolveu deixar a escuderia que o apoiava desde as categorias de base para correr pela Mercedes e acredita que uma mudança de time também pode ser benéfica para Felipe Massa.

Depois de oito anos como titular da equipe Ferrari, o brasileiro foi dispensado pela escuderia italiana, que contratou o finlandês Kimi Raikkonen para formar dupla com Fernando Alonso. O piloto paulista acertou com a Williams, uma das equipes mais tradicionais da F-1, mas que sofre com fracos resultados nos últimos anos.

“Acho que será uma grande oportunidade para Felipe. Ele ficou muito tempo na Ferrari e é até bom quando você fica muito tempo em um lugar. Mas ir trabalhar com novas pessoas será renovador, é respirar ar puro, como está sendo para mim. E no ano que vem a Williams também terá um bom motor, o que pode ser um ponto de mudanças para eles”, afirmou Hamilton, nesta quarta-feira em São Paulo.

Em sua primeira temporada com a equipe Mercedes, o piloto britânico foi um dos destaques do campeonato, sobretudo nos treinos classificatórios, em que conseguiu cinco poles, e também obteve a vitória do Grande Prêmio da Hungria. O alto consumo de pneus do carro, no entanto, foi um dos principais problemas enfrentados em 2013.

Lewis Hamilton aposta em Felipe Massa forte na Williams (Foto: Associated Press)

A uma prova do fim do campeonato, o Grande Prêmio do Brasil, em Interlagos neste fim de semana, Hamilton aparece na terceira colocação do Mundial, com 187 pontos conquistados. O alemão Sebastian Vettel, já garantido como tetracampeão do Mundial, soma 372, seguido por Fernando Alonso, com 227.

“Sempre tive muitos problemas com pneus na minha carreira, nunca foi fácil, mas este ano foi um pouco pior”, confessou o britânico. “Tivemos alguns problemas e na segunda metade da temporada isso melhorou bastante. É uma área em que estamos tentando sempre trabalhar, está ficando muito técnico, mas realmente ainda está nos faltando algo”, completou.

As atividades do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 começam com o primeiro treino livre às 10h (de Brasília) desta sexta-feira, mesmo dia em que ocorre a segunda sessão de prática. No sábado, estão marcados o terceiro treino livre e a tomada de tempos classificatória. A corrida, que encerra o Mundial de 2013, será às 14h de domingo.