SEDUC

Gols de Cristaldo em Penápolis dão ao Verdão terceira vitória seguida

Neste domingo, trajado todo de branco a fim de sofrer menos com o calor interiorano, o Palmeiras começou a partida com bastante movimentação e posse de bola

Comentar
Compartilhar
22 FEV 201520h36

Não fizeram falta ao Palmeiras, no início da noite deste domingo, um pênalti desperdiçado no início da segunda etapa e um gol anulado antes do intervalo. Ter balançado a rede do Penapolense outras duas vezes, graças a Cristaldo, bastou para garantir em Penápolis a terceira vitória consecutiva no Paulista.

Afora o óbvio que mostra o placar de 2 a 0, o goleiro Fernando Prass praticamente não foi ameaçado pelo adversário, que, muito inferior técnica e taticamente, justificou mais uma vez o fato de ainda não ter vencido nenhuma partida sequer até aqui na competição estadual. Sua próxima chance será no sábado, frente ao Marília, fora de casa.

Sem compromisso no meio de semana, a equipe treinada por Oswaldo de Oliveira (agora com 12 pontos ganhos) voltará a campo no mesmo dia, quando receberá o Capivariano, no primeiro de dois jogos seguidos no Palestra Itália, onde sofreu suas duas únicas derrotas no Estadual.

Neste domingo, trajado todo de branco a fim de sofrer menos com o calor interiorano, o Palmeiras começou a partida com bastante movimentação e posse de bola. Após insistir em alguns lançamentos, foi por baixo que saiu a primeira boa jogada, aos nove minutos. Alan Patrick recebeu passe de Dudu dentro da área, fintou o marcador e chutou à direita da meta de Leandro Santos. A bola chegou a tocar a rede por fora.

 Cristaldo, do Palmeiras, comemora após marcar gol em partida contra o Penapolense (Foto: Célio Messias/Estadão Conteúdo)

A pressão palmeirense foi traduzida em gol cinco minutos mais tarde, mas a arbitragem corretamente invalidou a jogada. Depois de usar a cabeça para tirar a bola do alcance do zagueiro, Cristaldo invadiu a área e finalizou em cima do goleiro. A sobra ficou com Dudu, que chutou de primeira e balançou a rede, mas com um desvio na cabeça do atacante argentino, que já estava à frente do goleiro, em condição irregular. "Achei que estava em condição, mas se não estava, o árbitro acertou, porque bateu em mim", reconheceu, no intervalo.

Depois disso, embora continuasse a dominar o jogo, o Palmeiras não teve a mesma facilidade para furar a marcação e ameaçar o goleiro adversário. Aos 24 minutos, Allione até escapou por trás da zaga, em belo lançamento de Robinho, mas o domínio ruim facilitou a chegada de Leandro Santos, que, seis minutos depois, buscou falta cobrada por Alan Patrick no canto direito - a bola sairia direto, mas a defesa tornou o lance mais perigoso do que de fato era.

Sem imprimir o mesmo ritmo inicial, possivelmente em função do calor de Penápolis, o time alviverde caminhava para um empate em branco na primeira etapa. Até que, já nos acréscimos, uma disputa feia fez a bola chegar a Cristaldo. O domínio foi igualmente ruim, porém o argentino se atirou na entrada da pequena área e chegou antes do goleiro para finalizar já caído. A bola ainda tocou a trave direita antes de entrar e o gol, desta vez, ser confirmado pela arbitragem. "Não existe bola perdida", justificou o artilheiro.

Na segunda etapa, o cenário não foi diferente. Superior em suas ações, o Palmeiras teve grande chance de ampliar a vantagem depois que Allione foi derrubado por Jaílton na área, e o árbitro assinalou pênalti. Dudu pediu a bola, mas cobrou mal, acertando o travessão. A trave também foi vilã em cabeceio de Allione, aos 19 minutos. O Penapolense cresceu e até tentou equilibrar o duelo depois disso, só que foi contido por suas próprias limitações.

Passada a tentativa de reação da equipe interiorana, o Palmeiras retomou o controle da partida e decretou a vantagem final aos 33 minutos. Novamente com Cristaldo. Depois de saída errada de jogo da defesa adversária, Allione encontrou o compatriota bem colocado. Ele invadiu a área e chutou com força. Leandro Santos até tocou na bola, mas não impediu o quinto gol de Cristaldo no ano (dois deles em amistosos) e o terceiro triunfo seguido palmeirense.