Gabigol exalta “mística” do Santos com a base: "A fórmula dá certo"

Em seu histórico, o Alvinegro praiano sempre se mostrou favorável com a ideia de trabalhar com garotos, destacando e popularizando a expressão “meninos da Vila”

Comentar
Compartilhar
24 MAR 201415h41

Diego, Neymar e Robinho. São apenas três exemplos de jogadores lapidados nas categorias de base do Santos, que brilharam (e ainda brilham) nos gramados nacionais e europeus. Em seu histórico, o Alvinegro  praiano sempre se mostrou favorável com a ideia de trabalhar com garotos, destacando e popularizando a expressão “meninos da Vila”. Neste ano, o clube, líder da primeira fase do Campeonato Paulista, mostrou não ter aberto mão desta combinação, e segue revelando bons valores para o futebol.

Dentre a nova safra de garotos, na qual fazem parte Gustavo Henrique, Alisson, Alan Santos e Geuvânio, um se destaca pelo apelido: Gabriel Barbosa, o popular Gabigol. Prestigiado no elenco alvinegro, o atacante exaltou a “fórmula” bem sucedida entre Santos e categorias de base, e apontou a tranquilidade encontrada entre o grupo de profissionais para desenvolver seu futebol.

“Ser menino no Santos é muito bom. A torcida gosta bastante e temos tranquilidade para trabalhar. É uma mística, uma fórmula que dá certo. Esse apoio que recebemos, dentro e fora das quatro linhas, é essencial para a nossa tranquilidade”, expressou o atacante, em entrevista ao canal FOX Sports.

Adiante, Gabigol discorreu sobre sua participação no planejamento tático do técnico Oswaldo de Oliveira: “No time titular, temos o Leandro Damião atuando mais centralizado, já que é um matador nato. Assim, eu, Geuvânio e Thiago Ribeiro não guardamos posição. Estamos sempre nos movimentando. Na base, eu jogava mais recuado, como um meia, vindo de trás. Agora, posso desenvolver isto, embora já tenha exercido o papel de centroavante”, explicou.

O garoto ainda comentou sobre sua relação com Neymar e Neílton, que já fora especulado no Cruzeiro: “Não falo com o Neymar por mensagens, mas ele sabe que desejo tudo de melhor pra ele. Crescemos juntos e ele é meu ídolo. Quando nos encontramos, sempre há muita alegria. Essa mesma amizade eu tenho com o Neílton. Somos companheiros há tempos e desejo que ele fique no Santos. Porém, se sair, sei que fará sucesso, independente de onde atuar”, apontou.

Por fim, Gabigol expôs sua identificação com o clube praiano, rechaçando qualquer rumor envolvendo sua saída: “Não me vejo jogando em outro clube que não seja o Santos. Espero e quero ficar muito tempo aqui”, enfatizou.