Fifa admite atraso em três estádios da Copa, mas mostra confiança

O Itaquerão, em São Paulo, a Arena da Baixada, em Curitiba, e a Arena Pantanal, em Cuiabá, devem ser entregues até fevereiro

Comentar
Compartilhar
03 DEZ 201321h36

A Fifa admitiu nesta terça-feira que três dos seis estádios ainda em construção para a Copa do Mundo de 2014 não vão ficar prontos agora em dezembro, dentro do prazo estabelecido inicialmente. O Itaquerão, em São Paulo, a Arena da Baixada, em Curitiba, e a Arena Pantanal, em Cuiabá, devem ser entregues até fevereiro. Mas os principais dirigentes da entidade, em entrevista coletiva na Costa do Sauipe (BA), minimizaram os atrasos e mostraram confiança de que tudo dará certo para a realização do Mundial que começa em 12 de junho.

"Recebemos um relatório que aponta pequenos atrasos em algumas obras, mas são pequenos. Temos certeza de que estará tudo pronto", afirmou o presidente da Fifa, Joseph Blatter, sem revelar, no entanto, quais seriam os estádios atrasados. Ele falou especificamente apenas do caso do Itaquerão, que estava dentro do cronograma mas foi palco de um acidente na semana passada, que provocou a morte de dois operários e vai ocasionar um atraso ainda indeterminado na entrega.

"Houve um fato muito triste, há uma semana, porque perdemos duas pessoas em um acidente em São Paulo. O estrago será recuperado e o estádio estará pronto", disse Blatter, garantindo que o Itaquerão não corre risco de ficar sem a abertura da Copa. Também presente na entrevista coletiva, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, reforçou o discurso do presidente e explicou que existe tempo suficiente para o estádio em São Paulo ser preparado para o jogo inaugural.

A entrega do Itaquerão foi adiada devido ao acidente que vitimou dois trabalhadores (Foto: Agência Brasil)

Foi Valcke quem revelou nesta terça que a Arena da Baixada e a Arena Pantanal, além do Itaquerão, terão atraso na entrega. "Curitiba é onde estamos com os maiores problemas. Não será entregue antes de fevereiro, isso é um fato. Estamos nos organizando para ter o estádio até o final de fevereiro", avisou o secretário-geral da Fifa, sem, no entanto, deixar de mostrar confiança no andamento das obras desses três estádios onde as obras estão atrasadas.

Luis Fernandes, secretário-executivo do Ministério do Esporte e membro do Comitê Organizado Local (COL) da Copa, foi outro que ressaltou a "confiança" na entrega dos seis estádios restantes - os outros três são Beira-Rio (Porto Alegre), Arena das Dunas (Natal) e Arena Amazônia (Manaus), que devem ficar prontos agora em dezembro. Ele ainda disse que um relatório sobre a real extensão dos danos provocados pelo acidente no Itaquerão será finalizado nesta semana. "Vamos ter um relatório pormenorizado até o fim da semana e isso permitirá replanejamento, mas tudo indica que haverá tempo hábil para o estádio".

No entanto, Brasília já se colocou à disposição da Fifa, segundo um integrante da entidade. O contato foi superficial, mas o recado foi dado. A capital federal, aliás, tentou nos bastidores colocar o estádio Mané Garrincha no lugar do Itaquerão para abrir a Copa. Só parou depois que Valcke visitou a arena do Corinthians e disse ter certeza de que ficaria pronta.