“Com a cabeça boa”, Cássio garante que está voltando ao seu normal

O goleiro que antes reivindicava um lugar na Seleção Brasileira ficou bastante abalado por não ter defendido nas pênaltis contra o Palmeiras, semifinais do Campeonato Paulista

Comentar
Compartilhar
19 MAI 201514h43

Com os longos cabelos protegidos por um gorro, Cássio repetiu três vezes em menos de um minuto que está “com a cabeça boa” após participar do treinamento do Corinthians da manhã desta terça-feira. O goleiro que antes reivindicava um lugar na Seleção Brasileira ficou bastante abalado por não ter defendido nas pênaltis contra o Palmeiras, semifinais do Campeonato Paulista, e pela falha feia no jogo de ida com o Guaraní, nas oitavas de final da Copa Libertadores da América.

“Esse é o futebol. A gente falha às vezes, mas o mais importante é admitir o erro e ter a cabeça boa. Passei algumas noites sem dormir por não ter pegado pênaltis e também falhei no gol do Guaraní. Acontece. Só quem está lá dentro fica sujeito a isso. Mas, com o apoio dos meus companheiros, vou jogando e recuperando a regularidade. Já estou voltando ao meu padrão normal de jogo”, garantiu.

Alguns torcedores, no entanto, não tiveram paciência para esperar Cássio se recuperar tecnicamente. Uma parte daqueles que protestaram na semana passada incluiu o nome do goleiro campeão mundial em 2012 no momento de desferir insultos contra o elenco do Corinthians. Houve até gritos de apoio ao reserva Walter.

Goleiro se mostrou melhor emocionalmente e aceitou as críticas dos torcedores do Corinthians (Foto: Cristiane Mattos/Futura Press)

“Quando o time não está bem, muitas coisas aparecem. O fato de você ter ganhado isso ou aquilo não te deixa imune. Não está no nosso contrato que não podemos ser vaiados ou criticados. Ninguém gosta disso, mas é o preço que se paga por jogar em um grande clube”, aceitou Cássio, dizendo-se acostumado à situação, apesar de discordar de algumas ofensas. “Chamar de mercenário e vagabundo é um pouco excessivo, injusto. Muito se falou também dos atrasos de pagamento, mas é algo que já vem da gestão passada. A gente sempre trabalhou forte mesmo assim, sem problemas de horário nem nada. Todo o mundo se dedica. Às vezes, as coisas não acontecem.”

Para calar os críticos, Cássio tem a cabeça boa suficiente para saber que as coisas precisam voltar a acontecer para o Corinthians. O time já esboçou uma reação ao ganhar da Chapecoense por 1 a 0 na noite de sábado e isolar-se na liderança do Campeonato Brasileiro.

“Só vamos acalmar a situação com vitórias”, conscientizou-se Cássio, permitindo-se sorrir ao falar sobre si mesmo outra vez. “Se eu ficar mais três ou quatro jogos invictos, voltarei a ser o mesmo goleiro de antes para as pessoas. Sei do meu trabalho.”

O próximo jogo que Cássio pretende passar sem ser vazado será contra o Fluminense, no domingo, no Maracanã. O goleiro reclamou de dor no quadril no treinamento de segunda-feira, porém deverá estar à disposição do técnico Tite no compromisso válido pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.