X

Economia

Inflação dos hortifrúti tem alta de 5,61% em março, segundo Ceagesp

Verduras registraram deflação de 2,47%, e a expectativa é que preços fiquem mais comportados nos próximos meses com clima ameno, sem tempestades nem ondas de calor

Nilson Regalado

Publicado em 10/04/2024 às 18:15

Atualizado em 10/04/2024 às 19:25

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

itens fazem parte do dia a dia do brasileiro / Pexels

O índice de preços Ceagesp encerrou o mês de março com variação de 5,61% ante uma variação de 0,28% no mês anterior. No mesmo período do ano passado, o índice apresentou variação de 5,33%. Com esse resultado, os preços na maior central atacadista da América Latina apresentam alta de 5,58% no ano e de 18,09% em 12 meses. Em março, o único destaque positivo foram as verduras, com deflação de 2,47%. E o destaque negativo foi o setor de frutas, com aumento de 7,11%, puxado pela alta nos preços da laranja pera e dos mamões formosa e havaí. Outro segmento com resultados ruins no mês passado foi o de legumes, com inflação específica de 6,92%, puxada pelos pimentões.

Siga as notícias do Diário do Litoral no Google Notícias

A expectativa é que o clima mais estável, sem grandes tempestades e ondas de calor, torne o ambiente mais favorável à produção de legumes e verduras durante o outono e o inverno, o que deve reverter essa inflação dos hortifrúti nos próximos meses.

Entre as verduras, os destaques foram a alface crespa, com redução de 28,15% nos preços em relação a fevereiro, o repolho liso com queda de 17,35% nas cotações frente ao mês anterior, a alface lisa (-9,14%) e a escarola (-8,95%).

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Dos 48 itens cotados nesta cesta de frutas, 58,33% apresentaram alta de preço. Mas, também foram registradas quedas nas cotações da pera d’anjou importada (-16,34%), do limão siciliano (-14,54%), do abacaxi pérola (-13,70%), da uva vitória (-7,57%) e da maçã fuji (-6,03%).

Apesar da alta no índice geral do setor de legumes, dos 32 itens cotados nessa cesta de produtos, 53,12% apresentaram redução de preço. E as principais baixas ocorreram nos preços de chuchu (-46,49%), quiabo (-18,77%), maxixe (-15,20%), berinjela japonesa (-13,97%) e tomate caqui (-13,31%).

OVOS E PEIXES

O setor de diversos variou 0,78% em março. Mas, dos 11 itens cotados nesta cesta de produtos, 63,63% apresentaram redução de preço.

As principais altas ocorreram nos preços de alho nacional (+15,10%), coco seco (+13,75%), cebola nacional (+9,38%), amendoim com pele (+4,65%) e ovos vermelhos (+3,31%). As principais reduções ocorreram nos preços de batata lavada (-16,55%), ovos brancos (-1,69%) e batata escovada (-1,27%).

O setor de pescados variou 3,95% em março. No mesmo período do ano passado, o setor apresentou variação de 8,89%. As principais altas ocorreram nos preços de pescada amarela (+29,72%), anchovas (+23,91%), peroá branco (+22,98%), cação azul (+15,61%) e corvina (+13,33%). As principais reduções ocorreram nos preços de cavalinha (-13,94%), espada (-10,18%), camarão cativeiro (-8,53%), pescada maria-mole (-6,09%) e pescada goete (-3,55%).

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nacional

Conheça o novo vírus mayaro, que provoca febre, dores e pode chegar na área urbana

Cientistas da Unicamp, USP, Imperial College de Londres e Universidade de Kentucky (EUA) pedem medidas urgentes de vigilância epidemiológica a fim de evitar avanço da doença

Santos

Restaurante e patrimônio gastronômico de Santos, Sideral completa 60 anos

Localizado no número 562 da Avenida Francisco Glicério, o hoje restaurante foi fundado originalmente na Rodrigues Alves

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter