X

Cubatão

Prefeitura de Cubatão exonera servidora presa em Operação do Gaeco

Administração Municipal esclarece que o Executivo não foi citado na investigação, mas colabora com o Ministério Público

Luana Fernandes

Publicado em 16/04/2024 às 16:47

Atualizado em 16/04/2024 às 18:16

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Prefeitura de Cubatão / Divulgação/PMC

A Prefeitura de Cubatão exonerou na tarde desta terça-feira (16) a servidora Fabiana de Abreu Silva, uma das pessoas detidas pela Operação deflagrada pelo Ministério Público de São Paulo, através do Gaeco.

Siga as notícias do Diário do Litoral no Google Notícias

A Administração Municipal, através de nota oficial, esclareceu que a investigação apura eventuais irregularidades em contratos da Câmara Municipal, não sendo a Prefeitura citada na referida investigação. "Mesmo assim, tem colaborado com o Ministério Público, fornecendo documentos e informações solicitadas", garante.

Ainda segundo a Prefeitura, Fabiana de Abreu Silva, uma das investigadas nesta operação, que corre em segredo de Justiça, ocupou cargo de confiança de assessora especial de Políticas Estratégicas e, recentemente, assumiu o cargo de secretária-adjunta de Governo. "A referida servidora foi exonerada nesta terça (16) para garantir imparcialidade às investigações e à sua ampla defesa junto ao Ministério Público", explicou.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Operação

A Operação Muditia resultou na prisão do vereador de Cubatão, Ricardo Queixão (PSD), a servidora municipal Fabiana de Abreu Silva e o advogado criminalista - atual diretor da Câmara Municipal - Áureo Tubinambá. Os mandados foram cumpridos em diversas cidades do Estado.

O objetivo da operação, comandada pelo Ministério Público de São Paulo, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e a Polícia Militar, é desarticular um grupo criminoso, associado ao PCC, investigado por inúmeras fraudes em licitações em todo o Estado.

As equipes cumpriram mandados de busca e apreensão em 42 endereços e a 15 de prisão temporária, todos expedidos pela 5ª Vara Criminal de Guarulhos. As ordens judiciais incluem prisão cautelar de agentes públicos, três deles vereadores de cidades do Alto Tietê e Litoral.

A Câmara Municipal de Cubatão emitiu nota sobre o caso. "Em atenção à Operação Muditia, a Câmara Municipal informa que tomou ciência da referida operação e que está colaborando com as equipes de investigação, fornecendo todos os documentos solicitados pelas autoridades".

Em nota encaminhada ao Diário do Litoral, a defesa de Aureo Tupinamba os próximos passos. "Acompanhei na manhã de hoje o advogado que foi alvo de investigação do GAECO (Guarulhos), que apura 
eventual fraude em licitação. O advogado se encontra sereno, pois, de forma segura alega não ter participação nas atividades ilícitas em apuração, colocando-se, inclusive, à disposição das autoridades competentes para esclarecer o que for necessário. A defesa técnica solicitou acesso aos autos, a fim de demonstrar a absoluta ausência de responsabilidade criminal do ora investigado".

Já a defesa do vereador Ricardo Queixão informou que pedirá a revogação da prisão temporária já que o parlamentar apontado como averiguado e não como suspeito.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Santos

'Encontro das Cidades ODS' contará com reflexão e ação pela Agenda 2030

Evento acontece em junho, no Centro Histórico de Santos

Cotidiano

Sindicato decide adiar greve do Metrô de SP e linhas funcionam normalmente

Segundo eles, parte das reivindicações da categoria foram atendidas

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter