X

Polícia

Preso em Operação do Gaeco, Áureo Tupinambá era advogado de líder do PCC

Durante a ação, também foram presos o vereador de Cubatão Ricardo Queixão e a servidora pública da Cidade, Fabiana de Abreu Silva

Luana Fernandes

Publicado em 16/04/2024 às 13:13

Atualizado em 16/04/2024 às 14:13

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Áureo Tupinambá atua como diretor da Câmara de Cubatão e Ricardo Queixão já foi presidente da Câmara / Reprodução/Instagram

O advogado criminalista Aureo Tupinamba, que foi preso durante Operação do Gaeco na manhã desta terça-feira (16), já atuou na defesa do traficante de drogas André do Rap, apontado como um dos chefes do PCC e condenado a 25 anos por tráfico internacional de drogas. Ele está foragido e é procurado, inclusive, pela Interpol.

Siga as notícias do Diário do Litoral no Google Notícias

Mesmo assim, durante coletiva, o Ministério Público e Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) esclareceu que a prisão de Áureo está relacionada ao seu trabalho como servidor da Câmara Municipal de Cubatão e não como advogado.

Segundo a defesa de Tupinamba, o advogado está tranquilo e garantre que "não tem envolvimento com nenhuma atividade irregular, muito menos ilícita".

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Cruz disse ainda que solicitou informações dos autos para demonstrar "a atipicidade da conduta" de Tupinamba, que está à disposição das autoridades para esclarecer o que for necessário.

A Câmara Municipal de Cubatão emitiu nota sobre o caso. "Em atenção à Operação Muditia, a Câmara Municipal informa que tomou ciência da referida operação e que está colaborando com as equipes de investigação, fornecendo todos os documentos solicitados pelas autoridades".

A Prefeitura de Cubatão informou - também através de nota encaminhada à reportagem do Diário do Litoral - que não foi citada na investigação que apura eventuais irregularidades em contratos da Câmara Municipal da Cidade.

A defesa do vereador Ricardo Queixão informou que pedirá a revogação da prisão temporária já que o parlamentar apontado como averiguado e não como suspeito. A reportagem do DL não conseguiu contato com a defesa da servidora Fabiana de Abreu Silva.

Operação Muditia

A Operação Muditia, deflagrada na manhã desta terça-feira (16), resultou na prisão do vereador de Cubatão, Ricardo Queixão (PSD), a servidora municipal Fabiana de Abreu Silva e o advogado Áureo Tubinambá, que também atual como diretor da Câmara Municipal. Os mandados foram cumpridos em diversas cidades do Estado. Na Baixada Santista, as equipes passaram também por Santos e Praia Grande.

O objetivo da operação, comandada pelo Ministério Público de São Paulo, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e a Polícia Militar, é desarticular um grupo criminoso, associado ao PCC, investigado por inúmeras fraudes em licitações em todo o Estado.

As equipes estão dando cumprimento a mandados de busca e apreensão em 42 endereços e a 15 de prisão temporária, todos expedidos pela 5ª Vara Criminal de Guarulhos. As ordens judiciais incluem prisão cautelar de agentes públicos, três deles vereadores de cidades do Alto Tietê e litoral.

Segundo a investigação, empresas atuavam de forma recorrente para frustrar a competição nos processos de contratação de mão de obra terceirizada no Estado, notadamente em diversas prefeituras e Câmaras Municipais. Guarulhos, São Paulo, Ferraz de Vasconcelos, Cubatão, Arujá, Santa Isabel, Poá, Jaguariúna, Guarujá, Sorocaba, Buri, Itatiba e outros municípios têm contratos sob análise.

De acordo com o promotores, havia simulação de concorrência com empresas parceiras ou de um mesmo grupo econômico. Também há indicativos da corrupção sistemática de agentes públicos e políticos (secretários, procuradores, presidentes de Câmara de Vereadores, pregoeiros etc.) e diversos outros delitos – como fraudes documentais e lavagem de dinheiro. As empresas do grupo têm contratos públicos que somam mais de R$ 200 milhões nos últimos anos. Alguns deles atendiam a interesse do PCC, que tinha influência na escolha dos ganhadores de licitações e reparte os valores ilicitamente auferidos.

 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Santos

Vamos comemorar? 15ª Festa de Portugal será em junho

Um dos principais atrativos do evento é a Praça de Alimentação, com a venda de tradicionais pratos típicos, doces conventuais, cervejas e vinhos portugueses

Santos

'Encontro das Cidades ODS' contará com reflexão e ação pela Agenda 2030

Evento acontece em junho, no Centro Histórico de Santos

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter