Ucrânia planeja iniciar retirada de artilharia

O porta-voz do Exército da Ucrânia, Andriy Lysenko, disse que a retirada iria começar, mas não deu mais detalhes

Comentar
Compartilhar
22 FEV 201510h15

A Ucrânia planeja iniciar a retirada da artilharia pesada das linhas de frente de sua batalha com os rebeldes separatistas favoráveis à Rússia neste domingo, de acordo com um plano de paz cujo passo inicial foi um cessar-fogo que ainda está sendo violado, disse um oficial militar.

O porta-voz do Exército da Ucrânia, Andriy Lysenko, disse que a retirada iria começar, mas não deu mais detalhes.

Já o porta-voz dos rebeldes, Eduard Basurin, disse que a retirada dos dois lados deve acontecer entre este domingo e 7 de março, mas não especificou se os rebeldes já se movimentaram nesse sentido. Não havia confirmação imediata de que a retirada começou.

Os dois lados da disputa devem retirar suas grandes armas e explosivos de 25 quilômetros distante da linha de conflito para uma distância de 70 quilômetros - dependendo do tamanho das armas - criando uma zona de conforto entre 50 e 140 quilômetros.

Essa zona era um elemento principal para que o acordo de paz funcionasse durante as negociações, que se iniciaram há dez dias em Minsk, Belarus. O acordo também prevê uma completa troca de prisioneiros de guerra.

No último sábado, 139 soldados ucranianos e 52 rebeldes foram trocados. Não se sabe quantos prisioneiros no total estão sob controle de cada um dos lados e quando as trocas ocorrerão.

A Ucrânia informou que os separatistas russos violaram o cessar-fogo um dúzia de vezes durante a noite, com artilharia e explosivos e uma tentativa de bombardear um acampamento ucraniano. Lysenko disse que um membro das forças armadas foi morte e outros três ficaram feridos ontem.

Explosões foram ouvidas na principal cidade controlada por rebeldes, Donetsk, neste domingo, e um website rebelde diz que muitos prédios na cidade foram danificados pela artilharia.