Sócio de empresa investigada na Lava Jato deve se entregar hoje à PF

De acordo com o delegado responsável pelas investigações da Lava Jato, os três presos ligados à empresa devem prestar depoimento hoje

Comentar
Compartilhar
06 FEV 201513h34

Um sócio da empresa Arxo, alvo da nona fase da Operação Lava Jato, deflagrada ontem (5), deve se apresentar logo mais à Polícia Federal. João Gualberto Pereira teve mandado de prisão expedido pela Justiça, mas estava nos Estados Unidos. Segundo a defesa, assim que desembarcar no Brasil,  ele vai para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Pereira não é considerado foragido.

Ontem (5), foram presos no município catarinense de Itajaí Gilson Pereira, sócio da Arxo, e Sérgio Ambrósio, diretor financeiro. Conforme o Ministério Público Federal, a empresa é acusada de pagar propina para obter contratos com a BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras. A Arxo comercializa tanques de combustíveis.

De acordo com o advogado Charles Zimmermann, não houve pagamento de propina nos 12 anos em que a Arxo mantém contratos com a Petrobras. "Lamentamos as prisões temporárias. Se tivéssemos sido chamados, colaboraríamos com a polícia, sem nenhum problema. Estamos esclarecendo e vamos resolver isso nas próximas horas", disse Zimmermann.

De acordo com o delegado responsável pelas investigações da Lava Jato, os três presos ligados à empresa devem prestar depoimento hoje.

Colunas

Contraponto